Oies BOOKAHOLICS! O mês mal começou e já li o terceiro livro da série do projeto de (Re)Leitura: Série Família Walsh – Por Marian Keyes que está rolando aqui no blog ❤ Quando li esse livro pela primeira vez, em 2010, não tinha gostado, era o pior livro da série para mim, mas depois dessa releitura pude absorver melhor a história da Maggie Walsh  e minha opinião mudou muito, para melhor 🙂

Caso não tenham visto as resenhas do primeiro livro da série, Melancia (Claire Walsh) e o segundo livro Férias! (Rachel Walsh) já estão disponíveis também 😉

Uma informação muito importante: por mais que façam parte de uma série, os livros não dependem um do outro, a não ser pelo tempo cronológico, já que em cada livro a história de uma irmã Walsh é contada, e as outras são apenas personagens secundárias, quase não aparecem e são apenas citadas para deixar o leitor a par de suas vidas. 

DESAFIO ANUAL: 30/50

FAMÍLIA WALSH – LIVRO III

los angeles.jpg

 

  • Título original: Angels
  • Lançamento: 2002 – Lançamento Brasil: 2007
  • Editora: Bertrand Brasil
  • 490 Páginas
  • Classificação: 5/5

Sinopse: Maggie sempre foi uma anjinha, a cria mais certinha da complicada (e engraçadíssima) família Walsh… Até se cansar de andar na linha e mandar todas as regras que a prendiam a um dia-a-dia sem sal (e muito menos açúcar) às favas – a começar pelo casamento (que, para o bem da verdade, nunca havia realmente engrenado) e o trabalho bitolante numa firma de advocacia. Ao largar essa vida em preto e branco no passado, Maggie decide se mandar para o lugar onde a realidade promete ser em Technicolor: Hollywood, claro! Terra do glamour, da liberdade, da beleza (até as palmeiras das calçadas são magras), da luxúria e, obviamente, da diversão! Em “Los Angeles”, o sexto romance de Marian Keyes, a consagrada autora de “Melancia” e “É Agora… Ou Nunca”, acompanhamos Maggie Walsh em sua busca por um sentido na vida em meio às calçadas estreladas de Hollywood, os subúrbios sofisticados de L.A., o bronzeado deslumbrante que só se consegue nas praias da Califórnia, vários martínis, algumas decepções… e muitas risadas, claro.

  • Tempo cronológico na série

“Los Angeles” se passa 5 anos após a história de Rachel em “Férias!”

 

  • Ambiente

O livro se passa predominantemente em Los Angeles (avá! kkk) – Estados Unidos, mas também muitos trechos são na Irlanda, origem da família Walsh. Se no primeiro livro Claire sai de Londres e Rachel sai de Nova York para voltar para casa durante uma crise em suas vidas, Maggie vai à Los Angeles e seus pais Jack e Mary e as irmãs Anna e Helen também acabam passando um período de descanso na área ensolarada dos atros de cinema e celebridades badaladas.

 

  • Personagem principal 

No livro “Férias!” Maggie é apresentada aos leitores como a irmã certinha e a filha perfeita da família. Com 33 anos Margareth está cansada de tudo e após ser demitida, resolve sair de casa e pôr fim ao seu casamento de 9 anos com Paul Garv, seu primeiro namorado. Maggie e Garv moraram durante 5 anos em Chicago, onde ela pode fazer aulas noturnas e cursos na área de Direito, mas não é formada.

Maggie resolve então passar um tempo na casa de sua amiga aspirante a roteirista Emily e a partir desse momento sua imagem de “santinha” começa a se romper, porém, conforme o passado de Maggie é revelado percebemos que na verdade sua imagem já foi “corrompida” há muito tempo antes.

Da primeira vez que li o livro não simpatizei pelas escolhas que Maggie faz quando “surta” abandonando o seu casamento, até então considerado perfeito dentro de sua vida perfeita, e se aventurando em várias situações, porém nessa minha releitura pude compreender melhor a histórias e os traumas de Maggie.

  • Temas abordados

Pode até soar como spoiler mas preciso dizer que sobre os temas abordados nesse livro: aborto, depressão (sempre!) e crise no casamento. Gostei da forma com que a autora desenvolveu esses temas, de forma bem clara, mostra como um relacionamento pode ir se perdendo ao longo do caminho pela falta de diálogo, a rotina excessiva e estressante de trabalho. Em vários momentos dá até uma agonia e uma vontade de chorar 😦

“O fim de um casamento é a coisa mais triste do mundo. Ninguém se casa imaginando que as coisas não vão dar certo, não é? Vi na minha frente a imagem de uma jovem de vinte e quatro anos (eu) e um rapaz de vinte e cinco (Garv), e me lembrei da nossa inocente confiança no futuro. Aquilo foi de arrasar.” (Pág. 90)

Marian Keyes consegue trabalhar com temas pesados de uma forma incrível, em seus livros somos levados à várias situações que são muito comuns às mulheres, então é muito natural nos sentirmos próximos das suas personagens. Gosto de ressaltar isso pois muitos acreditam que o gênero Chick-Lit são os livros para mulherzinha, apenas de entretenimento, mas a autora levanta discussões muito pertinentes e relevantes em suas histórias que devem ser de conhecimento e diálogo para todos, sejam homens ou mulheres.

“As consequências do trauma se alongaram por muito tempo. Quase que a partir do exato momento em que eu já não estava mais grávida, culpa e remorso chegaram e comecei a achar que ter tido o bebê não seria tão ruim. (Embora eu tivesse uma leve noção de que, se ainda estivesse grávida, estaria desejando não estar. As contradições me puxavam para os dois lados, como em um cabo-de-guerra emocional. Eu sentia que tinha todo o direito de fazer um aborto, mas continuava incomodada por uma terrível sensação de desconforto. Não importava o quanto a minha vida fosse sensata e limpa a partir dali, sabia que até morrer eu arrastaria aquele peso. Não conseguiria encontrar a descrição exata para aquilo: “pecado”. Era uma palavra errada, porque pecar era violar as leis de outra pessoa. Uma parte de mim, porém, estaria sempre despedaçada e eu ficaria marcada para sempre como uma mulher que fez um aborto.” (Pág. 441)

 

  • Outros personagens

Emily: é uma das melhores amigas de Maggie, é aspirante à roteirista de cinema, mora em Los Angeles e convida Maggie a passar um tempo com ela.

Paul Garv: marido de Maggie, é atuário e casado com Maggie há 9 anos. Os demais membros da família Walsh não gostam dele, por achar ele “mão de vaca”, rs. No final da história percebemos o quão Garv pode ser fofo ❤

 

  • Estilo de escrita da autora

Esse livro também é narrado em primeira pessoa, como os dois primeiros livros da série, então tudo que sabemos da história é pelo ponto de vista da personagem principal Maggie. Se não falei ainda nas outras resenhas, Marian Keyes tem o dom de escrever muito (no contexto de extensão) e muito bem, por sinal. Desenvolve suas personagens na crise que estão vivendo no momento, mas também relembra fatos do passado que influenciaram (ou não) a vida de suas protagonistas. Se em “Férias!” a autora foi bem a fundo para criar a experiência e vivência de uma pessoa que frequenta um centro de reabilitação, nesse livro somos transportados aos costumes de Los Angeles, ao processo de escrever roteiros, falar com agentes e conhecer um pouco dos bastidores cinematográficos e aspirantes a atores/atrizes, modelos, roteiristas e diretores. A autora não tem preguiça em criar vários personagens no ambiente, citando inclusive bares, casas noturnas e lugares badalados em que suas protagonistas estão inseridas e ainda criar histórias com muito sentido.

Outra característica legal é que a autora trata de temas muito pesados e também tem trechos de muito humor, então sempre ficamos à beira das lágrimas e dando gargalhadas, graças às maluquices da família Walsh, principalmente de Helen.

Eu mais uma vez recomendo mais uma da autora, e essa história para vocês 😉

“É isso que acontece com as relações, compreendi então. O importante não é nunca magoarmos um ao outro, porque às vezes não conseguimos evitar isso, pois somos apenas humanos. No entanto quando a gente ama alguém, fica magoado, mas consegue perdoar. E ser perdoado.” (Pág. 471) 

O próximo livro deste projeto de releitura é “Tem alguém aí?” que vai contar a história de Anna, e foi o meu preferido da série quando li pela primeira vez 😉

Me contem nos comentários já leram algum livro da Marian Keyes e o que acharam, ou se já leram esse livro, vou adorar conversar sobre 😉

Até o próximo post!

Camila Melo

 

Anúncios

15 comentários em “Resenha | Los Angeles (Maggie Walsh), Por Marian Keyes

  1. Cah ainda não li nenhum livro da autora acredita? Sempre fiquei curiosa para saber o que acontece no livro Melancia, que vira e mexe sempre vejo para comprar, mas nunca comprei… E agora com sua resenha eu fiquei muito curiosa para ler *-*
    Um grande beijo pra ti 😘💕

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s