Oies BOOKAHOLICS! Com o lançamento do novo filme baseado em mais um livro do “Tio Nick” resolvi reler a história de Travis e Gabby,  já que tinha lido em 2013 e não me lembrava de vários detalhes,  inclusive o final, rs;)

DESAFIO ANUAL: 8/50

DESAFIO DO CALENDÁRIO VITOR MARTINS – Fevereiro: leia um livro que virou filme

images

 

  • Título Original: The Choice
  •  Autor: Nicholas Sparks
  • Gênero: Romance
  • Lançamento: 2007 – Lançamento Brasil: 2012
  • Editora: Novo Conceito
  • 308 Páginas
  • Classificação: 5/5

Sinopse: Travis Parker possui tudo o que um homem poderia ter: a profissão que desejava, amigos leais, e uma linda casa beira-mar na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte. Com uma vida boa, seus relacionamentos amorosos são apenas passageiros e para ele, isso é o suficiente. Até o dia em que sua nova vizinha, Gabby, aparece na porta. Apesar de suas tentativas de ser gentil, a ruiva atraente parece ter raiva dele. Ainda sim, Travis não consegue evitar se engraçar com Gabby e seus esforços persistentes o levam a uma jornada que ninguém poderia prever. Abrangendo os anos agitados do primeiro amor, casamento e família, A Escolha nos faz confrontar a questão mais cruel de todas: Até onde você iria manter o amor de sua vida?

 

**NÃO HÁ SPOILERS NESSA RESENHA**

As pessoas mudam.  A mudança é uma das leis inevitáveis da natureza,  cobrando tributos sobre a vida das pessoas.  Cometem-se erros, arrependimentos surgem, e tudo o que havia sobrado eram repercussões que tornavam algo tão simples como se levantar da cama uma coisa quase extenuante.  (Pág.  8 e 9)

A primeira coisa que preciso falar é como fui pega de surpresa por essa história,  tanto que (re) li muito rápido!  Apesar da história e da sinopse tentarem fazer de Travis um garanhão, mas como o livro é narrado pelo ponto de vista dos dois personagens dá para perceber que o caráter do rapaz não é bem essa.

Aliás,  um dos pontos que mais gostei foi o fato de explorar essa ideia de julgar uma pessoa pela capa, sua aparência ou pelos hábitos que ela tem. E  ainda, ver como podemos errar ness “pré conceito” que fazemos do ser humano.

Por outro lado, temos Gabby,  a “mocinha” que tenta de todas as formas ser perfeita e não sair dos padrões de mulher que sua mãe ( e a sociedade) tenta nos impor (feminista eu? rs).  Isso a afeta tanto que muitas decisões da sua vida, até se é mais respeitável usar um maiô ou biquíni num passeio de barco na praia, são pautadas no que sua mãe pensaria. Mas a personagem parece estar numa transição e tentando buscar aquilo que a faz feliz, e não os outros, já que se sente tão incompleta e estressada.

E por falar em feminismo, há um momento  muito tenso que quem leu pode comentar o que achou, combinado?! 😉

Não existe essa coisa de amizade. Especialmente com homens e mulheres solteiros da nossa idade. Simplesmente não funciona assim, a menos que você esteja falando sobre alguém que você conhece há muito tempo. Certamente não é o caso quando há estranhos envolvidos. (Pág.  184)

O romance de Travas e Gabby se dá de uma forma muito rápida, a atração entre eles é mútua,  mas claro que outros fatores além da personalidade diferente que tem podem impedir que o relacionamento funcione.

Se a conversa era era a letra da música,  o riso era a melodia, fazendo com que o tempo que eles passavam juntos se transformasse em uma música que podia ser tocada repetidamente,  sem que ele cansasse de ouvi-la.  (Pág.  191)

Gabby precisa fazer uma escolha, e Travis precisa fazer uma escolha, que se não fosse pela escolha dela primeiramente talvez ele não precisasse chegar a esse ponto.

Para não esquecermos que essa história é do Nicholas Sparks o ambiente é sim na Carolina do Norte, preaia de fundo e uma desgraça para acabar com os nossos ❤ ❤

Como eu já disse,  eu me surpreendi e torci muito pelo casal até as últimas páginas,  na bad da sofrência 😉

Ele havia vivido o bastante para saber que as pessoas lidavam com a dor de diferentes maneiras e, pouco a pouco, todos começaram a aceitar suas novas vidas.  (Págs.  293 e 294)

Outro aspecto que o autor explora é a culpa,  sabe quando nos arrependemos tanto de uma ação,  a menor que for, porque ela traz consequências devastadoras?  Acredito que esse sentimento fizeram o efeito de sofrência na história!

Estou muito ansiosa para assistir ao filme, apesar de só pelo trailer ver que tem muitas coisas “distorcidas” do livro, na verdade completamente diferente,  mas isso já é assunto para outro post 😉

 

Espero que gostem da resenha 🙂 e se já leram o livro ou assistiram ao filme me digam se gostaram ou não!  😉

Até o próximo post!

Camila Melo 

 

 

 

Anúncios

8 comentários em “Resenha | A Escolha, Por Nicholas Sparks

  1. Olá,
    Confesso que ainda não li nenhum livro do Nicholas, mas isso vai mudar pois ganhei Querido John de aniversário e pretendo ler em breve rsrs e acho que A escolha acabou de entrar para minha listinha de desejados também. Adorei a resenha e curti bastante a proposta do filme.

    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s