Oies BOOKAHOLICS! Nessa edição das notícias que chamaram a minha atenção nesses últimos dias vai ter uma polêmica, e duas perdas da literatura mundial.!

  • Lei Rouanet – A polêmica! 

Essa lei até então desconhecida por mim (e por várias pessoas, acredito) ganhou bastante destaque já que por essa lei a cantora Claudia Leitte poderia captar de empresas privadas  a “bagatela” de R$ 356 mil, SIM, quase meio milhão de reais para publicar um livro seu, sua biografia, que seria distribuído gratuitamente em todo país.

Mas calma, vou tentar explicar de forma clara e rápida o que aconteceu 😉 A primeira coisa a ser esclarecida é do que essa lei se trata:

Criada em 1991 durante o governo Fernando Collor, a lei incentiva diversas áreas da cultura, contemplando tanto artistas iniciantes e independentes quanto os de carreira já consolidada —um de seus pontos mais controversos.

E por essa controversa toda que iniciou o debate que quero compartilhar com vocês aqui no blog! Não curto nada em relação a Claudia Leitte  (que os fãs me perdoem), mas já que existe uma lei que incentiva projetos culturais porque não investimentos em “personalidades” que marcaram uma geração ou fizeram algo de muita influência ou importância?

A repercussão na internet foi tão negativa que a cantora desistiu do projeto, e ainda, muitas discussões foram levantadas, já que a produtora da jurada técnica do The Voice Brasil afirmava que o livro não seria uma biografia, ponto de maior revolta dos internautas, porém o conteúdo do livro seria: “oferecer uma entrevista exclusiva da artista, fotos, letras e partitura de músicas”.  Além de acusarem a cantora de se beneficiar de recursos fiscais.

E não há nada contra a cantora não, fui pesquisar sobre o assunto e descobri que vários artistas utilizam essa lei, que é autorizada pelo Ministério da Cultura, para captar recursos para divulgar seu trabalho. O problema é que vários artistas já consolidados já foram beneficiados, como Luan Santana (R$ 4.143.325,00, em 2014, para uma turnê), e a própria Claudia Leitte ( R$ 5.883.100,00, em 2013, para uma turnê). Nesse link tem mais alguns casos “bizarros” de projetos financiados.

Diferentemente do que muitos supõem, a aprovação via Lei Rouanet não garante patrocínio a um projeto cultural. Trata-se apenas de um aval para que o artista possa captar o valor junto a empresas, que obtêm em troca abatimento de até 4% do imposto de renda devido.

O fato é que deve ter muito mais polêmica pela frente não só pelo caso Claudia Leitte, mas pelos critérios que a CNIC (Comissão Nacional de Incentivo à Cultura) utiliza para autorizar os projetos.  E ainda, não podemos esquecer a força que a internet tem, hoje nós temos acesso a praticamente tudo que acontece no mundo inteiro e também somos formadores de notícias, se não fosse pelas pessoas criticarem o projeto (conhecendo a lei ou não), talvez a cantora não tivesse desistido.

Eu acredito ainda que esse tipo de incentivo só poderia ser concedido para os artistas, escritores que não possuem recursos e que não são conhecidos, que não têm milhões em suas contas bancárias ou seu próprio jatinho particular. Não vou nem mencionar sobre o tipo de trabalho, estilo ou gênero porque falar de cultura é muito complicado, já que tem coisas que podem agradar a uns e não agradar a outros.

As fontes utilizadas foram: Uol / Spotniks / Planalto basta conferir para se aprofundar mais no assunto. 😉

 

  • Perdas na literatura mundial

No último dia 19 de fevereiro (sexta-feira) dois autores faleceram. Umberto Eco e Harper Lee.

Umberto-Eco-1

Escritor, filósofo, semiólogo, linguista e bibliófilo italiano, de fama internacional. Foi titular da cadeira de Semiótica e diretor da Escola Superior de ciências humanas na Universidade de Bolonha. Ensinou temporariamente em Yale, naUniversidade Columbia, em Harvard, Collège de France e Universidade de Toronto. Colaborador em diversos periódicos acadêmicos, dentre eles colunista da revista semanal italiana L’Espresso, na qual escreveu sobre uma infinidade de temas. Eco é, ainda, notório escritor de romances, entre os quais O nome da rosa e O pêndulo de Foucault.

 

harper-lee_3374329b Escritora norte-americana autora do clássico  ganhadora do Prémio Pulitzer de Ficção em 1961 pela sua obra de ficção  “O sol é para todos“, sucesso de público e crítica, e desde então nunca mais lançou um livro até que fosse descoberto o Vá coloque uma vigia“, escondido numa caixa, e lançado em 2015. 

Me digam nos comentários o que vocês pensam sobre a Lei Rouanet 😉

Até o próximo post!

Camila Melo 

 

 

 

 

Anúncios

5 comentários em “News #3 | Lei Rouanet e perdas na literatura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s