Leituras Janeiro/2020 | Férias, ressaca literária, primeiras tatuagens e 3 livros lidos

Oies Bookaholics!

Leituras de Ago 2019 (3)

Meu ano de 2020 começou com o ritmo de leitura em velocidade reduzida e vários motivos colaboraram para isso, principalmente as férias. Eu estava tão esgotada (em todos os sentidos) que não estava na “vibe” de livros, preferindo passar meu tempo livre assistindo filmes e séries. Acho até que estava de ressaca literária. Quero até aproveitar e deixar registrado que eu não me sinto mal por ler menos. Na realidade de uns tempos para cá tenho dado prioridade para outros hábitos que eu amo e como eu já tenho que ler muito para a faculdade resolvi aproveitar esse período mais tranquilo sem ficar me pressionando para ler o tempo todo. Outro ponto é que tenho preferido mais qualidade do que quantidade, e por esse motivo eu adorei as experiências que tive com as leituras desse mês, mesmo que nenhuma dela tenha sido 5 estrelas.

Resumo do mês

Antes de falar propriamente das leituras gostaria de recapitular algumas coisas que aconteceram nesse início de ano. A primeira é que finalmente eu tomei coragem e fiz algo que estava querendo muito há uns 3 anos: fazer uma tatuagem. Como eu sou uma pessoa muito indecisa quando se trata de decisões permanentes (ou que terão muito impacto na minha vida) enrolei muito, mas me decidi e fiz não só uma, mas duas tatuagens. Sou daquelas que pensa que uma marca no corpo precisa ter um significado muito especial para mim, que representasse algo importante e que eu amava: sim os livros e também como eu concluí a faculdade de Letras também optei por um “I can.” (Eu posso) no pulso esquerdo representando essa conquista, além de me motivar.

82807391_2784694291593823_2437888334165442560_nAlgumas curiosidades sobre as tatuagens: pensei que fosse doer muito mais do que doeu e o tatuador fez cada uma em menos de 5 minutos, na verdade levamos mais tempo para escolher as fontes do que fazer a tatuagem em si. O tatuador é do meu bairro  e cobrou um preço okay (não que eu entenda de preços de tattoos, rs). Tive uma cicatrização tranquila usando uma pomada que o próprio tatuador tinha para vender e não precisei fazer dieta. E sim, já estou pensando nas próximas 😉

 

Comecei a pensar e organizar os projetos de leitura para esse ano e no post 12 Livros nacionais para 2020 falei um pouco melhor sobre as leituras que serão prioridade para mim. Também iniciei os trabalhos na coluna Diário da Faculdade e contei sobre as minhas experiências com a Fuvest, o vestibular da USP.

Saíram também alguns posts sobre Filmes e Séries e ainda estou pensando se vou continuar usando o mesmo formato de posts que utilizei no ano passado, ou se tentar algo novo. Aguardem 😉

 

Leituras

Como eu mencionei anteriormente nenhuma das leituras que realizei foram 5 estrelas para mim, mas adorei a experiência que tive com cada uma delas. Iniciei o ano pensando em diversificar o que eu leio, por isso foram dois livros de ficção e um de não-ficção. Dois deles foram escritos por autores negros, um é um clássico nacional e o outro de uma das minhas autoras contemporâneas favoritas: a Marian Keyes. Ah, uma coincidência é a paleta de tons azuis nos três livros 😉

A resenha dos livros estão “linkadas” abaixo:

O_ANO_EM_QUE_DISSE_SIM_1463017392584049SK1463017392BO ano em que disse sim, de Shonda Rhimes ★★★★

Um livro motivador da aclamada e premiada criadora e produtora executiva dos sucessos televisivos Grey’s Anatomy, Private Practice e Scandal, e produtora executiva de How to Get Away with Murder.
Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O Ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas e oferece ao leitor a motivação necessária para fazer o mesmo em sua vida.

 

MEMORIAS_POSTUMAS_DE_BRAS_CUBA_1530486396797SK1530486399BMemórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis ★★★★

É após a morte que Brás Cubas decide narrar suas memórias. Nesta condição, nada pode suavizar seu ponto de vista irônico e mordaz sobre uma sociedade em que as instituições se baseiam na hipocrisia. O casamento, o adultério, os comportamentos individuais e sociais não escapam à sua visão aguda e implacável, nesta obra fundamental de Machado de Assis.

 

 

A_MULHER_QUE_ROUBOU_A_MINHA_VI_1453226878529504SK1453226878BA mulher que roubou a minha vida, de Marian Keyes ★★★★

Um dia, andando de carro em meio ao tráfego pesado de Dublin, Stella Sweeney, mãe e esposa dedicada, resolve fazer uma boa ação. O acidente de carro que resulta disso muda sua vida. Porque ela conhece um homem que lhe pede o número do seu celular para o seguro, plantando a semente de algo que levará Stella muitos quilômetros para longe de sua antiga rotina, transformando-a em uma superestrela e também, nesse processo, virando a sua vida e a de sua família de cabeça para baixo. Em seu novo e divertido romance, Marian Keyes narra a história de uma mudança de vida. É tudo muito bom quando se passa de um cotidiano banal para dias cheios de eventos glamorosos — mas, quando essa vida de sonhos é ameaçada, pode-se (ou deve-se) voltar a ser a pessoa que se costumava ser?

 

Me digam nos comentários como e quais foram as leituras que vocês fizeram durante o mês de janeiro, vou adorar saber! 😉

 

Até o próximo post.

Redes sociais *Skoob/ *Goodreads/ *Instagram/ *Facebook/ * Filmow

4 Comentários

  1. Pois é Camila, acho que todos já passaram ou vão passar por essa ressaca literária, que eu diminui os livros lidos, diminuí muito, mas vamos ver 2020. Quando a gente não tem vontade ler, que não leia.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Sim Mauro! Agora em fevereiro estou um pouco mais empolgada com as leituras =D E penso da mesma forma que vc: devemos ler quando temos vontade e pronto!

      Curtido por 1 pessoa

      1. Em fevereiro vou fechar o mesmo número de livros lidos em janeiro, três livros, pelo menos até essa metade de mês. Tenho mais um livro físico e talvez mais um e-book.

        Curtido por 1 pessoa

        1. Oies Mauro, para mim tbm rolou pouco avanço em relação às leituras de janeiro, mas em breve sairá post sobre 😉

          Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: