Filmes e Séries de Outubro e Novembro 2019 | This is us, Black-ish e 10 filmes assistidos

Oies Bookaholics!

Seguindo com as atualizações aqui no blog, neste post vou falar sobre os filmes e séries que assisti durante os meses de outubro e novembro.

Filmes e Séries Ago

 

Séries

Seguindo com as minhas 10 séries para 2019 eu finalizei mais duas que estavam na lista: Black-ish e This is us.

black-ish

Black-ish está atualmente na 6ª temporada, mas alguns episódios da 5ª ainda não estão disponíveis e estou esperando para concluir, mas falo mais sobre a série no post: [10 séries para 2019] Black-ish: as complexidades da identidade negra 😉

This Is Us - Season 3

This is us está atualmente na 4ª temporada, que deverá se estender até o fevereiro de 2020, mas eu fiz post sobre as três primeiras temporadas no post: [10 séries para 2019] This is us: perfeita para os apaixonados por um bom drama.

 

Filmes

desonra_t4846 Desonra (Dir. Steve Jacobs, 2008) – ★★★

Depois de se envolver com uma aluna, um professor cai em desgraça e procura a filha, a única pessoa que poderia ajudá-lo. Mas o preconceito étnico na Cidade do Cabo vai mudar sua vida.

Em relação ao filme, uma adaptação de roteiro dirigida pelo australiano Steve Jacobs (2008) parecia superficial quando comparada ao livro, porque parece que a personalidade problemática de David é deixada de lado. No entanto, o apelo visual pode marcar mais didaticamente as diferenças raciais entre os personagens, ao contrário do senso comum de que existem apenas negros na África. Além de trazer várias cenas de situações de miséria, especialmente crianças em uma espécie de aterro, enquanto David levará os cães para serem incinerados. Em um diálogo entre David e Lucy, no qual ele revela que ajudar Petrus a construir a casa seria um reparo histórico, a discordância de David com a situação conquistadora dos negros é evidente.

 

carrie

Carrie, a estranha (Dir. Kimberly Peirce, 2013) – ★★

Uma releitura do clássico conto de terror sobre Carrie White (Chloë Grace Moretz), uma garota tímida rejeitada por seus colegas e super-protegida por sua mãe profundamente religiosa (Julianne Moore), que traz o terror telecinético para sua pequena cidade após sofrer uma brincadeira de mal gosto durante o baile de formatura.

Mais uma adaptação que me decepcionou muito, e falo melhor no post: Resenha | Carrie, a estranha, de Stephen King + Considerações sobre o filme.

 

arábiaArábia (Dir. Affonso Uchoa & João Dumans, 2017) –  ★★★★

Vida e morte de um operário brasileiro. Road movie acompanhando dez anos da vida de Cristiano, que vive de cidade em cidade em busca de trabalho, perdendo amigos e namoradas, com a Vila Operária sendo seu ponto final.

Um dos melhores filmes nacionais que já vi! Arábia foi tema de discussão de uma reunião do grupo de pesquisa que faço parte na faculdade e adorei, apesar de ficar muito triste com a situação do mercado de trabalho no Brasil, principalmente para aqueles que precisam ser inseridos novamente após sair da prisão. O sistema é extremamente injusto, principalmente para a população mais pobre que vive cada vez mais desigualdades sociais.

 

Fracture_posterFratura (Dir. Brad Anderson, 2019) – Netflix – ★★★

Dirigindo pelo país, Ray (Sam Worthington) e sua esposa param em uma área de descanso na estrada, onde sua filha acaba caindo e quebrando o braço. O pai vai para o check-in da emergência mais próxima, enquanto a esposa leva a filha para fazer uma ressonância magnética. Ray, exausto, adormece no saguão. Quando ele acorda, o pesadelo começa.

Eu vi o trailer deste filme da Netflix e fiquei super empolgada com esse suspense, mas aí desvendei o mistério nos primeiros 5 minutos de filme hahaha. O roteiro é muito previsível e a movimentação das câmeras, espécie de foco narrativo, davam pistas desde o início do que de fato estava acontecendo, não me surpreendeu e só assisti até o final para confirmar minhas suspeitas.

 

chi-raq_t125355Chi-Raq (Dir. Spike Lee, 2015) – Amazon Prime Video – ★★★★

O filme é uma releitura moderna da peça Lisístrata, escrita por Aristófanes, e conta a história de um grupo de mulheres que se une após uma criança morrer por uma bala perdida. Elas organizam um movimento contra a violência no sul de Chicago e mudam a realidade sobre raça, sexo e violência na América.

Eu gosto muito dos filmes do Spike Lee porque sempre traz os negros para o protagonismo e gostei muito dessa adaptação. Muito bom por trazer as mulheres para o foco principal num contexto em que Chicago está sendo dominada por um conflito de gangues.

 

branco-sai-preto-fica_t95087 Branco sai, preto fica (Dir. Adirley Queirós, 2014) – ★★★

O filme cria suas imagens e sons a partir de uma história trágica: dois homens negros, moradores da maior periferia de Brasília, ficam marcados para sempre graças a uma ação criminosa de uma polícia racista e territorialista da Capital Federal. Essa polícia invade um baile black. Tiros, correria e a consumação da tragédia: um homem fica para sempre na cadeira de rodas, o outro perde a perna após um cavalo da polícia montada cair sobre ele. Mas esses homens não se sentem confortados em contar a história de maneira direta e jornalística. Eles querem fabular, querem outras possibilidades de narrar o passado, abrindo para um presente cheio de aventuras e ressignificações, propondo um futuro.

Esse filme foi sugerido em algum evento da faculdade e estava com altas expectativas, mas sei lá acho que não curti muito a ideia, levando em conta também que eu não sou a super fã de sci-fi, apesar disso acho que vale a pena por trazer a questão racial como base.

 

a lavanderia

A lavanderia (Dir. Steven Soderbergh, 2019) – Netflix – ★★★★

Por debaixo da superfície do mundo financeiro, um grande esquema de lavagem de dinheiro envolvendo as principais figuras políticas mundiais fluía desde 1970. Em 2017, o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação publicou o maior vazamento de corrupção da história, baseado em 11,5 milhões de arquivos secretos obtidos a partir do escritório de advocacia Mossack Fonseca, no Panamá. A descoberta balança com vigor a esfera pública, causando uma crise na política internacional.

Vi uma notícia falando desse filme, de que a Netflix seria processada pela maneira que retrataram um caso real e com a polêmica fiquei muito curiosa. Gostei e já tenho alguns palpites para o Oscar 2020: melhor roteiro adaptado, melhor montagem; melhor atriz para Meryl Streep e até ouso dizer que Gary Oldamn e Antonio Banderas serão indicados a melhor ator coadjuvante… Aguardamos! 😉

 

loving_ver2Loving – uma história de amor (Dir. Jeff Nicholls, 2016) – Netflix –  ★★★★★ ❤ 

Richard e Mildred Loving, um casal interracial, são presos em junho de 1958 por terem se casado. Jogados na prisão e exilados do estado onde viviam, eles sofrem durante nove anos na luta pelo seu casamento e o direito de voltar para casa como uma família.

Mais um filme baseado em fatos reais sobre desigualdade racial e eu simplesmente amei! O contexto aqui é durante a década de 1950 nos Estados Unidos envolvendo o Movimento dos Direitos Civis que lutava contra a segregação racial com o fim da escravidão. Nessa história vemos como o relacionamento birracial não é aceito ainda em diversos estados e com isso o casal precisa ficar longe de seus familiares para ficarem juntos criando seus filhos. As atuações estão maravilhosas e acredito que o roteiro conseguiu mostrar em cada cena a relação de amor do casal, mais as consequências de leis racistas. Maravilhoso!

 

imperial2Sonhos imperiais (Dir. Malik Vitthal, 2014) – Netflix – ★★★★

Bambi quer publicar suas crônicas, como qualquer outro escritor iniciante. Mas, para realizar seu sonho, precisa voltar para Watts, Los Angeles, depois de uma prisão de 28 meses, para encontrar seu filho que está aos cuidados de sua avó viciada. Ao retornar, ele terá que lidar com um inesperado presente de boas-vindas: uma oferta de trabalho como traficante. Mesmo que esta seja a vida normal de Bambi, ele sabe que seu estilo de vida pode não durar muito tempo. O filme traz John Boyega, astro do filme Meio sol amarelo, como protagonista. Sundance Film Festival 2014.

Esse filme retrata mais uma vez como é a difícil inserção de ex-presos no mercado de trabalho, me fazendo lembrar muito do nacional Arábia, e como é mais difícil ainda ficar longe da criminalidade. O filme tem diversas cenas pesadas e fortes envolvendo crianças e uma relação familiar completamente problemática. Muito bom!

 

um-toque-de-pecado_t77798_mnf8aSQ Um toque de pecado (Dir. Jia Zhang-Ke, 2013) – ★★★

O longa relata quatro histórias, entre elas uma sobre uma trabalhadora sexual em um bordel de luxo, que refletem uma sociedade em plena mutação, na qual o capitalismo desenfreado gera uma grande desigualdade e uma colossal falta de humanidade.

Filme discutido também durante a última reunião do grupo de pesquisa e a ideia era entender como funciona as péssimas relações de trabalho na China, que não difere muito do que acontece nos demais países capitalistas. Achei interessante mas ao mesmo tempo o filme é muito longo com as 4 diferentes histórias, mas serve para reflexão sobre a justificativa da violência.

 

Conhece alguns dos filmes mencionados? Já assistiu algum? Quer me indicar algum filme? Deixe tudo aqui nos comentários, vou adorar saber! 😉

 

Até o próximo post!

 

Redes sociais *Skoob/ *Goodreads/ *Instagram/ *Facebook/ * Filmow

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: