Evento | In-Mídia: o livro sob influência dos novos meios de comunicação

Oies Bookaholics!

Na última sexta-feira, dia 28 de junho, rolou o In-Mídia: o livro sob influência dos novos meios de comunicação, evento organizado pela Editora Com-Arte Jr., empresa laboratório do curso de Editoração da ECA-USP.

in-mídia

Nessa primeira edição, o evento contou com a presença de Liliane Prata (Canal da Lili) como mediadora, Mel Ferraz (Literature-se), Isabella Lubrano (Ler antes de morrer)  e Anna Lívia (Quarta Parede Podcast)Apesar de estar extremamente cansada por ser a última semana de aulas do semestre e com 4 trabalhos para entregar e uma reunião na sexta eu fui com a minha amiga e xará.

Eu gostei muito do evento, principalmente por conhecer o Quarta Parede Podcast e um pouco mais da Mel Ferraz, que eu não conhecia tanto. Além disso, acho que a mediação da Lili Prata conseguiu encaminhar muito bem a conversas e discussões na relação livros e tecnologia. Vou trazer alguns pontos principais da conversa, confiram 😉

Mel Ferraz é formada em Estudos Literários pela UNICAMP e hoje cursa Letras na mesma instituição, além de trabalhar com revisão de textos. Ela diz que começou seu canal no Youtube e que a literatura não era apenas hobby, mas um trabalho. Hoje em seus vídeos ela pensa e lida com a relação entre academia literária e Youtube, que era mais complicado no começo e perceber que atualmente o booktube não é mais algo tão subestimado. Isabella diz que iniciou seu blog como exercício de escrita a partir das influências do curso de jornalismo, ao criar o canal pensou na transformação profissional e por isso aproveitou o suporte que a plataforma investia aos pequenos canais e investiu em cursos para melhorar na plataforma. Já Anna Lívia em parceria com a Larissa Siriani , amiga desde a época da faculdade de cinema, começaram o podcasts falando sobre livros e filmes, sem muita organização, segundo ela. Perceberam nessa plataforma um novo mercado e começaram a pensar em mudanças a partir da monetização.

Lili Prata perguntou sobre o papel transformador da literatura. Mel Ferraz falou, dentre outras coisas, da não romantização da literatura, mesmo sendo terapêutica, vê nos livros um espaço de conforto para ela que já teve que lidar com crises de depressão e ansiedade, e no meio ao caos conseguiu encontrar identificação. Anna Lívia teve muita influência desde pequena por conta do pai poeta. Diz que por mais que a leitura seja uma hábito solitário também é algo que promove a coletividade e a troca entre diferentes pessoas, independente do gênero e valor que se dá a obra. Também diz que a leitura proporciona um lado único para que cada leitor interprete  e se identifique de uma forma.

A leitura acaba sendo um marcador de diferença social, e Lili Prata questiona como os novos meios de comunicação conseguem romper a barreira entre a alta e baixa literatura. Segundo Anna Lívia todo livro é válido, desde que tenha uma leitura crítica. Seu podcast aborda desde os livros mais clássicos aos contemporâneos, livros considerados de mulherzinha e ressalta que não há “guilty pleasure” . Já Mel Ferraz vê o Youtube como meio democrático e de alto potencial, já que consegue tirar obras do “pedestal”, e conseguir passar a mensagem de que nenhuma leitura é impossível, como a experiência que fez com Ulisses, de James Joyce. Percebeu uma mudança de chave ao ingressar na área acadêmica, visto que só lia os livros mais best-sellers.

Com uma mesa composta só por mulheres, Lili Prata questionou as palestrantes como é ser mulher nesse meio, visto que pela sua experiência em seu canal nota que não há muita liberdade para expressar de fato suas opiniões. Mel Ferraz diz que que percebe condescendência principalmente nos comentários  masculinos, como se ela não tivesse entendido alguma obra e também já recebeu comentário de assédio elogiando sua aparência. Isabella diz que não recebe muitos comentários assediando-a porque ela adota uma posição de resguardo, não escolhendo roupas com decotes, mas diz que tem sorte. Especificamente sobre a plataforma de podcasts Anna Lívia diz que é diferente do YouTube e por não ter a imagem não sente tanto o machismo pelo conteúdo que produzem, e ainda ressalta a união de mulheres nesse segmento, criando uma rede de compartilhamento e apoio mútuo.

Por fim, gostei quando elas falaram sobre como tentam equilibrar a produção do conteúdo que produzem, isso porque é necessário um malabarismo para equilibrar seus gostos, ações que proporcionem a quantidade de likes, além da relação entre seguidores e as editoras. Mel Ferraz diz que tudo ela faz a partir de tentativas e mais recentemente tem procurado conhecer e atender o seu público. Diz também que é necessário sinceridade com os editores, e afirma que o diálogo é essencial, já que muitas editoras não tratam essa relação como um trabalho, mas reconhece que muitas delas estão mais abertas a esse novo segmento que vem se profissionalizando nos últimos anos. Anna Lívia por sua vez diz que não há relação com as editoras e a relação com o conteúdo é mais pessoal e não roteirizada. Diz que não havia planejamento, mas elas passaram a pensar em organizar melhor o conteúdo trabalhando com arcos temáticos. E Isabella diz que o conteúdo foi criado a partir do guia 1000 livros para ler antes de morrer, que gerou o nome do seu canal, e por isso, no começo o conteúdo era dedicado totalmente aos livros clássicos escritos por homens e que com o passar do tempo foi inserindo a literatura brasileira e outros gêneros.

Esse é apenas um resumo porque o evento tratou de outros temas, e no final ainda ganhei dois livros no sorteio! Já estou ansiosa para a próxima edição do In-Mídia!

View this post on Instagram

No evento de ontem organizado pela Com-Art Jr. ganhei esses dois livros. Fiquei muito curiosa com "Mulheres de maternidade impedida", de Juliana Martins, livro este que faz parte da Coleção Universidade e Sociedade, um projeto que visa a edição de pesquisas inéditas voltadas para os problemas sociais brasileiros. Já "Diário de Blumka", de Iwona Chmielewska foi publicado pela Pulo do Gato, uma editora volta ao publico infantil, e será presente para a minha sobrinha de 6 anos que já está lendo e precisa de incentivos para manter o hábito da leitura. . . . . . #Book #Books #Bookaholic #ABookaholicGirl #bookshelf #Instabook #instareading #lendo #bookish #instalibros #ilovereading #libros #instalivros #bookstagram #instaread #LoveBooks #AmoLivros #AmoLer #VamosLer #pulodogato #comartjr

A post shared by A Bookaholic Girl Blog (@a_bookaholic_girl) on

 

Até o próximo post!

 

Redes sociais *Skoob/ *Goodreads/ *Instagram/ *Facebook/ * Filmow

13 Comentários

  1. Muito legal essas discussões Camila. Com debates muito pertinentes, principalmente sobre o lugar da leitura no atual mundo ‘líquido’. E também sobre as posições adotadas por essas mulheres em se colocarem como criadoras de conteúdo, expondo suas opiniões e se mantendo abertas a críticas.
    Sobre os assédios nos comentários do YouTube, infelizmente isso é uma realidade, ainda tem muito homem babaca nesse mundo.
    Parabéns pelo post.
    Abraço.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies Gabriel, bom dia! Olha, eu sou muito suspeita para falar pq eu amo esse tipo de evento ❤ Acho que os booktubers desenvolvem um papel fundamental para o incentivo à leitura, a minha vida de leitora mudou muito de 2014 para cá quando comecei ter a contato com esse tipo de conteúdo, parece que um novo universo se abriu para mim com a possibilidade de conhecer novos livros e autores. E sim, essa questão dos assédios e menosprezo deve ser um inferno mesmo, mas acredito que as coisas um dia melhorem. Obrigada pelo apoio, como sempre!

      Cah

      Curtido por 1 pessoa

  2. Tábata Uchoa · · Responder

    Que legal, Camila! Acho esse tipo de evento muito interessante e eu adoro a Lili Prata! E você ainda ganhou livros no sorteio. Que sortuda! hahahahah Bjs

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies Tábata, bom dia! Esses eventos são incríveis mesmo, mas sou suspeita para falar, rs Eu só ouvia falara da Lili por conta de um colega autor que faz o podcast com ela, mas adorei o jeito dela 🙂 Para você ter ideia não teve muita gente no evento, então todo mundo ganhou livros nos sorteios, e os cinco primeiros que chegassem tbm ganhavam uma caixinha surpresa da TAG, essa não consegui, infelizmente 😦 hahaha.

      Bjos da Cah

      Curtir

  3. Cah!!! Adorei você compartilhar com a gente um resumo do que foi esse evento! Parece que foi realmente bastante proveitoso.
    Já me inscrevi no podcast da Anna Lívia! Obrigada pela dica!
    Muito interessante como plataformas diferentes enfrentam dificuldades diferentes… eu confesso que assisto poucos vídeos de booktubers, porque por mais que as pessoas achem mais fácil, mais rápido, eu acho o contrário. Geralmente eu leio resenhas e posts em pequenos intervalos, principalmente em meio a muitas pessoas, como na academia (andando na esteira kkk), no trabalho… e ainda tentando dar conta da realidade à minha volta. Eu nunca fui a garota dos fones de ouvido… então acho mais fácil ler, em vez de ficar numa bolha escutando algo sozinha. Mas como já falei uma vez, eu escuto podcasts quando to fazendo as tarefas de arrumação e limpeza em casa rsrs, então acho que vai rolar de conhecer melhor o Quarta Parede.
    E eu já estou curiosa pela sua leitura dos livros que você ganhou!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies Isa! Ah primeiramente muito obrigada ❤ Confesso que achei seus hábitos bem diferentes, acho que por eu ser a garota dos fones de ouvido e me isolar na minha bolha, pelo menos na maioria das vezes hahaha. Como eu estou começando a adotar o hábito de ouvir podcasts para arrumar a casa, caminhar acho muito mais proveitoso do que parar e assistir um vídeo e tals. Sobre os livros que ganhei, já passei o infantil para a minha sobrinha e não sei quando vou ler o outro, tem uma fila enorme na frente hahaha.

      Curtir

  4. Que evento legal, com essas mulheres incríveis. Amo o canal da Isa e o da Mel. Obrigada por compartilhar esta experiência maravilhosa conosco!.😊😊❤❤

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies Gio! Então, eu não consigo me simpatizar com a Isa, já vi alguns vídeos e até mesmo nesse evento não concordei com algumas coisas que ela falou, principalmente o “se resguardar com o tipo de roupa que usa para não sofrer assédio” além de eu e minha sentirmos um pouco de prepotência em algumas falas que não cheguei a compartilhar aqui, enfim, talvez seja alguma cisma hahaha. Espero conseguir compartilhar muito mais eventos e conteúdos desse tipo ❤

      Curtido por 1 pessoa

      1. Ah, eu tb estranhei essa fala, viu. Acho que ela não deveria ter esta postura. Mas… 🙂 🙂 🙂

        Curtido por 1 pessoa

        1. É, nem sei viu rs, mas cada um tem a sua opinião… 😉

          Curtido por 1 pessoa

  5. […] Evento | In-Mídia: o livro sob influência dos novos meios de comunicação […]

    Curtir

  6. Adoro os post sobre eventos! Você escreve tão bem que parece que eu estou lá, participando e absorvendo tudo.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oie Geo! Fico feliz em poder compartilhar essa experiência ❤ ❤

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: