Leituras de Março 2019 | Um pouco de organização, tentativa de TBR e 5 livros lidos

Oies Bookaholics!

Leituras de Jan 2019 (1).png

Posso considerar este mês como um mês bem produtivo, não só em relação às leituras, mas até mesmo na organização do blog. Eu já vinha compartilhando que nos últimos meses eu estava muito desanimada com os livros, o que acaba refletindo também no conteúdo e frequência dos posts.

Mesmo com uma crise de gastrite nervosa em consequência de um surto de ansiedade por alguns problemas (amigos, minha mãe e atividade física tem me ajudado muito, e um pouco de omeprazol também, rs), consegui manter basicamente tudo o que tinha programado para esse mês de março.

Seguindo sugestões de dois amigos passei a fazer uma lista de tudo o que eu precisava fazer para a faculdade, também aproveitei para organizar o blog e minhas leituras. Utilizei o Evernote (principalmente pelo computador) para colocar todas as minhas ideias de conteúdo numa lista e num formato de calendário fui organizando os posts na sequência que queria postar. Claro que precisei fazer algumas alterações durante o mês, mas foi uma experiência muito boa e me deu um pouco mais de serenidade para lidar com as minhas tarefas.

Com isso, os posts do mês foram (além dos específicos sobre filmes e séries):

 

E a pergunta que não quer calar: consegui seguir a TBR e ler os livros que tinha me proposto a ler em março? E sim, eu consegui! Eu tenho resistência em determinar com antecedência o que vou ler, mas gostei tanto da experiência que vou manter essa estratégia para o mês de abril.

Não sei se isso acontece com vocês, mas, às vezes tenho tantas opções de leituras (filmes e séries) que a gente fica meio perdido e acaba não lendo nada. Estava perdendo muito tempo fazendo vários nadas nas redes sociais, e quando percebia o tempo “desperdiçado” ficava sempre me questionando que poderia ter me dedicado a um livro ou até mesmo uma outra tarefa que ficava procrastinando.

Outro ponto super válido e extremamente positivo, foi que ao fazer uma TBR eu parei para pensar em que livros eu queria ler. O resultado foi que eu consegui variar os gêneros e os tipos de leituras: li uma HQ, dois livros clássicos, um livro de não-ficção, 3 livros nacionais e 2 de literatura estrangeira (um milagre), sendo que dos 5, 4 foram de autoria feminina. Acho que refletir sobre o que se vai ler acaba por contribuir num exercício de valorizar pautas e autorias das minorias, além de valorizá-los. Fica a dica! 😉 No meu caso foi mais fácil, porque até mesmo na faculdade o tema da escravidão e feminismo foram abordados e é um assunto que eu quero me aprofundar ainda mais!

 

Enfim, os livros lidos foram:

VIPASSANA_DESENHADA_A_LAPIS_S_1551284520858511SK1551284521BVipassana (Mara Romaro)

Nunca eu poderia esboçar o que aconteceu. Vislumbres que se derramaram feito tinta em minha visão e escorreram em meu íntimo, em nuances e grandes impactos na minha vida e alma. O que você faria se recordasse fatos sensíveis que não viveu, com alguém com quem se deparou na vida?
Vipassana é uma história de fatos e ilusões, sob o ponto de vista dos desenhos, que simbolizam a arte na minha vida e na escrita, a contar da experiência de uma relação que foi permeada insights de uma vida não vivida, suas essências e tangências à vida da outra, trazendo questões psicoafetivas de elo e relação filha e mãe.
Vipassana, termo sânscrito, em tradição budista significa insight na natureza da realidade e existência, significa também “as coisas como elas são”, e há a meditação que significa caminho que conduz ao incondicionado. Vipassana conta história desses vislumbres, suas consequências, âmbitos através dos desenhos que simbolizam artisticamente o elo afetivo em cartas e desenhos em um diálogo interno.

Livro que recebi de parceria com a autora: Resenha | Vipassana, de Mara Romaro

 

AMADA_154775792612305SK1547757927BAmada (Toni Morrison) ★★★★★

A história de Amada se passa nos anos posteriores ao fim da Guerra Civil, quando a escravidão havia sido abolida nos Estados Unidos. Sethe é uma ex-escrava que, após fugir com os filhos da fazenda em que era mantida cativa, foi refugiar-se na casa da sogra em Cincinnati. No caminho, ela dá à luz um bebê, a menina Denver, que vai acompanhá-la ao longo da história. Amada tem uma estrutura sinuosa, não-linear – viaja do presente ao passado, alterna pontos de vista, sonda cada uma das facetas que compõem esta história sombria e complexa. Considerado um clássico contemporâneo, faz um retrato a um tempo lírico e cruel da condição do negro no fim do século XIX nos Estados Unidos. 

Leitura obrigatória da faculdade e que se tornou uma das minhas preferidas da vida: Resenha | Amada, de Toni Morrison

 

DAYTRIPPER_1440905598196148SK1440905598B Daytripper (Fábio Moon & Gabriel Bá) ★★★★★

QUAIS SÃO OS DIAS MAIS IMPORTANTES DA SUA VIDA? Conheça Brás de Oliva Domingos. Milagroso filho de um mundialmente famoso escritor brasileiro, Brás passa os dias escrevendo obituários e as noites sonhando em se tornar um autor de sucesso – ele escreve o fim da história de outras pessoas enquanto a sua própria mal começou. Mas, no dia que sua vida começar, ele será capaz de perceber? Ela começará aos 21, quando ele conhece a garota dos seus sonhos? Ou aos 11, quando dá seu primeiro beijo? É mais adiante na vida quando seu primeiro filho nasce? Ou antes, quando pode ter encontrado sua voz como escritor? Cada dia na vida de Brás é como a página de um livro. Cada um deles revela as pessoas e coisas que o fizeram ser quem é: sua mãe e seu pai, seu filho e seu melhor amigo, seu primeiro amor e o amor de sua vida. E, como em todas as grandes histórias, seus dias tem uma reviravolta que ele nunca antecipou… Em DAYTRIPPER, os ganhadores dos Prêmios Eisner e Jabuti Fábio Moon e Gabriel Bá contam uma história mágica, misteriosa e tocante sobre a vida – uma jornada lírica que usa os momentos silenciosos para fazer as grandes perguntas.
“…Ganhador do prêmio Eisner (o Oscar das HQs) “Daytripper” consagra dupla brasileira Gabriel Bá e Fábio Moon. Obra mais vendida em março/2011, segundo ranking de gibis do “New York Times”…”

Uma graphic novel maravilhosa, mas que perdeu um pouco do brilho quando descobri a possível suspeita de plágio: Resenha | Daytripper, de Fábio Moon & Gabriel Bá

 

MULHERESN_RACA_E_CLASSE_1471272733605204SK1471272733BMulheres, raça e classe (Angela Davis) ★★★★★

Mais importante obra de Angela Davis, Mulheres, raça e classe traça um poderoso panorama histórico e crítico das imbricações entre a luta anticapitalista, a luta feminista, a luta antirracista e a luta antiescravagista, passando pelos dilemas contemporâneos da mulher. O livro é considerado um clássico sobre a interseccionalidade de gênero, raça e classe. 
Um clássico, para o pensador Norberto Bobbio, é um intérprete único de seu tempo, com tamanha reserva de atualidade que cada época e cada geração têm a necessidade de relê-lo e, ao relê-lo, de reinterpretá-lo. Dessa forma, um clássico cria teorias-modelo com vistas à compreensão da realidade, de tal sorte que consegue até mesmo explicar contextos diferentes daquele em que foi gestado.
O livro Mulheres, raça e classe, da intelectual e feminista estadunidense Angela Davis, amolda-se, com precisão cirúrgica, a essa definição. Publicado em 1981, logo se converteu em referência obrigatória para se pensar a dinâmica da exclusão capitalista, tomando como nexo prioritário o racismo e o sexismo. Ordena-se sobre um arco de temas inescapável para compreendermos o modo de funcionamento das sociedades marcadas pela tragédia da escravidão moderna (o papel da mulher negra no trabalho escravo; classe e raça na campanha pelos direitos civis das mulheres; racismo no movimento sufragista; educação e libertação na perspectiva das mulheres negras; sufrágio feminino na virada do século; estupro e racismo; controle de natalidade e direitos reprodutivos; obsolescência das tarefas domésticas).

Que livro enriquecedor e uma admiração chamada Angela Davis! Resenha | Mulheres, raça e classe, de Angela Davis

 

UMA_APRENDIZAGEM_OU_O_LIVRO_DO_15304848431746SK1530484846BUma aprendizagem ou o livro dos prazeres (Clarice Lispector) ★★★★

Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres é uma história de amor sem histórias. Neste sexto romance de Clarice Lispector (1920-1977), publicado em 1969, não há enredo, trama. Os acontecimentos são banais: a professora primária Loreley, Lóri, um dia conheceu o professor de filosofia Ulisses, que lhe dera carona. Importante, porém, é que os dois procuram descobrir como amar, embora se queiram desde o início. Trata-se de um diálogo de aprendizados, das conversas entre Lóri e Ulisses e de Lóri consigo mesma, de fluxos de consciência de uma mulher em autodescoberta mística, que se prepara para o prazer genuíno. O que é? Para aprender a alegria você precisa de todas as garantias?, uma vez pergunta Ulisses a Lóri. Antes de enfim se unir ao professor, Lóri quer se desfazer das amarras que a prenderam a uma vida limitada, independente, mas solitária, e de amores desimportantes: tenta superar o desconhecimento de si mesma e aprender a viver sem dor. 

Tive uma experiência tão diferente com esse livro que não consegui seguir meu modelo de padrão de resenhas, preferindo compartilhar os trechos que mais chamaram a minha atenção na obra: Quotes | Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres, de Clarice Lispector.

 

Em breve sairá o post sobre livros e séries, aguardem! 😉

Me digam nos comentários quais foram as leituras que vocês fizeram durante o mês de março, vou adorar saber! 😉

 

Até o próximo post.

 

Redes sociais *Skoob/ *Goodreads/ *Instagram/ *Facebook/ * Filmow

 

21 Comentários

  1. Oi, não sei ficar sem a rede social, mesmo que um tempo perdido seja usado nela. Já pensei em fechar o meu Facebook várias vezes, mas não acontece e nele tenho pessoas para me relacionar.
    Antigamente comprava alguns livros e aqueles seriam lidos naquele mês, já com os e-books, tenho uma coleção de livros no e-reader, vou comprando conforme vou me interessando, às vezes tenho muitos, outras não, e posso começar qualquer título, mas como hoje, comecei um livro que falava de uma mãe doente, mas a minha está doente, hospitalizada, e acabei mudando a história, neste momento não quero ler nenhum livro com a mesma situação, como comprei e desejava ler aquele livro, já tinha começado, voltei para trás e vou recomeçar numa outra época.
    Foi bem interessante você se organizar do jeito pretendido, apesar que acho seu blog lindo como é.
    Ao invés do Omeprazol, meu médico me recomendou e tomo há tempos o Pantoprazol 40.
    Esse mês foi péssimo para ler, um, e um é nada para mim.
    Meu tempo começa na internet, depois um filme, depois uma leitura, mas na época que eu estava bem embalado para a leitura não era essa a ordem. É o momento.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies! Primeiramente desejo melhoras para a sua mãe, espero que tudo corra bem e que ela volte para casa o quanto antes ❤ Nossa, sobre as redes sociais: eu amo e também acho que não consigo ficar sem hahaha Mas o problema é que acabo ficando muito tempo, sendo que tenho outras coisas para fazer, mas se eu pudesse ficava assistindo diversos vídeos de comidas saudáveis, diy, resenha de filmes, livros, séries….
      Sobre o remédio, esse eu não conheço, mas tbm me foi receitado um outro que eu tinha que tomar durante 10 dias e o Omeprazol por um mês, mas fazer atividade física e mudar a alimentação tem me ajudado muito a controlar as crises de ansiedade. O problema é que sofro muito por antecipação, aí altera o meu sono, e nesse caso o estômago tbm, infelizmente!
      Em relação aos livros que compro e acabo não lendo: prefiro nem comentar para não passar vergonha hahaha.

      Obrigada pelo apoio, como sempre!!! ❤

      Curtido por 1 pessoa

      1. Quanto a minha mãe, obrigado. Realmente muito preocupado com isso, e rezando bastante. Não esperava depois de um passeio passar por isso, muito menos ela.
        Comprei muitos livros (e-books) que não li, e tinham os impressos. Deveria emagrecer, caminhar, mas os chocolates, a bala de goma, os baurus (kkkkk) continuam entrando, sem falar na Coca-Cola.
        Já fiquei há muitos anos atrás, 17 horas seguidas na internet. Com certeza hoje estou bem longe disso, e tenho outras coisas para fazer, uma vida, mesmo assim internet faz parte.
        Quando eu caminhava, dirigia aos finais de semana, pedalava, etc, um dia na chegada em casa, de uma caminhada, meu pai, hoje falecido, disse que ia me por na internet, fiquei até contrariado, isso na época da internet discada. Hoje não deixo ela de lado. São os tempos. Coca-Cola é tão vício quanto internet, mas vícios que eu gosto.
        Abraços.

        Curtido por 1 pessoa

        1. Eita! Eu tomava Coca-Cola todos os dias, eu mal tomava água, e piorava muito na época de provas pq tbm consumia mais ainda e chocolate hahaha. Estou desde o 1º de janeiro sem refrigerante nenhum, sinto falta, mas estou tentando adotar hábitos mais saudáveis, rs. Boa sorte! rs E cara, 17 horas seguidas na internet???? (Acho que consigo só maratonando alguma série hahaha)

          Curtido por 1 pessoa

          1. Oi, estas 17h foram logo no começo, muito tempinho atrás. kkkkk

            Curtido por 1 pessoa

          2. Que bom que estás se cuidando e evitando refrigerante. Gostaria de ter essa força.

            Curtido por 1 pessoa

  2. De autoras brasileiras venho dando destaque para Carina Rissi, Juliana Dantas e Nana Pauvolih, mas meu tipo de história é outro. Livros de não ficção são poucos, um ou outro de auto ajuda, em 2018 um.
    Livros de literatura, clássicos, etc, nada.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ah, vou procurar por livros dessas autoras, se bem que já li dois livros da Carina Rissi e achar a autora uma fofa! O importante é ler o que gosta, sem sofrer julgamento nenhum por isso. Vai com tudo! 😉

      Curtido por 1 pessoa

      1. Esse ano em baixa em assunto de leituras. Só dez livros até agora. E sobram preocupações no momento.

        Curtido por 1 pessoa

        1. Ainda tem muito 2019 para compensar, rs.

          Curtir

  3. Esse mês li poucos livros de ficção, pois foquei mais nos teóricos. Vi que vc mencionou o Evernote e esse app é incrível mesmo. Fiz um post falando um pouco como organizo as minhas referências. Ele foi um achado. Gostei muito das suas leituras. Fiquei muito interessada em ler Amada da Toni Morison, parece ser um livro incrível. 😄
    Criei um grupo de estudos literários no face para troca de links e de experiências literárias, se você puder dar uma olhada. 😄 bjs

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies! “Amada” é realmente incrível! E torcendo muito para que vc leia o quanto antes, rs Eu leio majoritariamente livros de ficção, e por conta da faculdade, quando são pedidos leituras de não-ficção, são apenas capítulos específicos, raramente livros completos. Mas nesse estilo, confesso que amo esses que trazem a biografia de mulheres importantes, como Malala, e outros mais específicos sobre ditadura e feminismo!. Nossa, adoro a praticidade do Evernote, além de usá-lo tanto no celular como no pc. Vou procurar pelo seu post e por favor, me manda o link desse grupo no facebook, acho que é uma ótima ferramenta de troca entre os participantes! 🙂

      Bjos

      Curtido por 1 pessoa

      1. Oiii. O link do Grupo é esse https://www.facebook.com/groups/2246055592120829/ . Gostaria de conversar contigo depois sobre a possibilidade de gravarmos uma live sobre Teoria da Literatura. O que achas? 😊 bjssss

        Curtido por 1 pessoa

        1. Ahhh thanks! Que maraaaa, podemos conversar melhor sobre: camilaoms@gmail.com 😉

          Bjos

          Curtido por 1 pessoa

  4. Nossa, seu mês foi bem produtivo mesmo! Que bom que vc conseguiu dar um jeito na gastrite. Fiquei com vontade de ler esse livro da Clarice Lispector! Bjs!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies Ju!

      Ah, mulher, estava sentindo falta de me organizar e conseguir concentrar melhor as minhas leituras! A gastrite com o passar dos dias e o tratamento foi melhorando, mas nada como conseguir canalizar o estresse e a ansiedade de outras maneiras, rs. Obrigada pelo apoio! ❤
      Esse livro da Clarice me veio há muito tempo num seriado adolescente da Tv Cultura que se chamava "Tudo que é sólido pode derreter" em que cada capítulo era baseado em uma obra literária. Enfim, rs sempre tive receio de ler, mas adorei! Apesar de "A hora da estrela" continuar sendo o meu favorito ❤ ❤ Bjos

      Curtir

      1. Nossa, que interessante esse seriado da TV Cultura!! O meu também ainda é “A hora da estrela”! Bjs!

        Curtido por 1 pessoa

  5. […] MARÇO 9. Vipassana (Mara Romaro) 10. Amada (Toni Morrison) ★★★★★ 11. Daytripper (Fábio Moon & Gabriel Bá) ★★★★★ 12. Mulheres, raça e classe (Angela Davis) ★★★★★ 13. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres (Clarice Lispector) ★★★★ […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: