[10 séries para 2017] Por que eu quase desisti de How To Get Away With Murder?

Oies Bookaholics!

Primeira coisa: como vocês estão conseguindo sobreviver a esse calor dos infernos? Eu estou tão desanimada e cansada que não estou conseguindo fazer metade das coisas que pense que faria nesse mês 😦

Enfim…

Depois de assistir às temporadas disponíveis no Brasil (4 Netflix e não sei a quantas andas na Rede Globo) de How To Get Away With Murder (Como defender um assassino) eu quero falar sobre os motivos de me fazerem querer desistir da série. E calma, os spoilers estarão apenas no final deste post 😉

htgawm.jpg

A série foi criada por Peter Nowalk e tem como produtora executiva Shonda Rhimes e distribuído pela ABC Studios.

Lembrando que essa era uma das séries mais bem comentadas que eu tinha me proposto a assistir em 2017 e só parei para assistir agora em 2019. O primeiro ponto é o tempo, a série lançou em 2014 e se comparada às séries mais recentes é uma série mediana: são 15 episódios com duração aproximada de 45 minutos, então sim, me dava preguiça de começar. Não sei vocês, mas eu penso muito antes de começar a ver uma série, se eu estou gostando eu me dedico e só fico assistindo aquela série, não vejo filmes e mais nada. Então, me dispor a assistir uma série é um investimento de risco, rs.

O ritmo também foi um ponto problemático em um primeiro momento, se somado ao tempo e aos personagens. Eu demorei 7 episódios para realmente ficar presa à trama e me habituar a esse universo e pensei seriamente em desistir, mas várias pessoas comentavam no meu post no Facebook que valia muito a pena. E o começo da segunda temporada também foi muito lento, mas na metade eu fiquei tão fissurada que virei a noite assistindo. Entretanto a terceira foi a mais fraca para mim de todas. Essa inconstância  me incomodou mas depois eu entendi qual era a estratégia utilizada pelos produtores de HTGAWM: utilizar tanto de flasbacks  como de  flashforwards, tempo passado e futuro, respectivamente na narrativa cronológica presente da série.

O terceiro ponto é que eu não suportava todos os personagens! Até a metade da primeira temporada eu não aguentava mais as briguinhas (muito infantis) por causa da p* de um troféu. Nenhum deles me causava simpatia quem dirá empatia, eu queria saber sobre os casos e do desaparecimento de uma aluna e sua relação com os demais personagens da série. Conversando com alguns amigos que são muito fãs da série ao contrário deles eu também não suportava a personagem principal Annalise Keating! E confesso que demorei as 4 temporadas para sentir algum afeto ou torcer por ela.

annalise keating.gif

O que me leva a destacar agora os pontos positivos da série. Acho que o que mais me fez detestar e amar em um certo sentido foi perceber que nenhum personagem era 100% o mocinho/mocinha. Cada um tem seus motivos para fazer o que fazem e depois a gente entende as motivações, mesmo que não concorde. O que me faz aplaudir de pé incontrolavelmente Viola Davis, PQP! E não me refiro apenas ao seus momentos de confronto no tribunal em que ela acaba destruindo basicamente todo mundo sem dó nem piedade, me deixando de boca aberta.

(Discurso ao vencer o 67º Emmy em 2016 como melhor atriz de série dramática, sendo a primeira mulher afro-americana a vencer o prêmio)

Eu tinha visto poucos filmes com a atriz e nessa série ela está simplesmente fantástica, com atuações do riso às lágrimas e muitas atitudes complexas e em um primeiro motivo sem justificativa alguma, tanto em burlar as leis no tribunal (plantando provas, inclusive)  para vencer um caso, como em proteger as pessoas que ama.

ak.gif

Ao mesmo tempo em que diversas cenas podemos perceber as fragilidades dessa mulher forte que não leva desaforo para casa e enfrenta quem tiver que enfrentar. Conforme seu passado é revelado a gente consegue entender os motivos que a tornaram o que ela é, não que justifica muitas das suas ações. A série faz questão de não colocar apenas uma mulher toda arrumada, de salto, maquiagem e peruca, alternando com pequenos momentos em que ela tira o papel de Annalise Keating e se torna apenas Anna Mae, uma mulher que cresceu vivendo as situações mais traumáticas que uma mulher pode viver e como ela ainda lida com seus fantasmas e demônios.

E claro, como não ficar feliz em ver mulheres negras ganhando papel de destaque na televisão como em Dear White People, mas aqui o racismo não tem o mesmo destaque, mesmo ao trabalhar relacionamento inter-racial e mulheres negras em cargos de poder. O elenco também conta com diversos personagens negros no destaque como Wes Gibbins, Michaela Pratt e Nate Lahey.

Mas o foco principal é sistema jurídico norte-americano. Annalise Keating é advogada de defesa de supostos assassinos e ministra aula na universidade fictícia Middleton University Law, e na primeira temporada ao assumir a disciplina em que vai ensinar seus alunos a fugir, ou melhor, se livrar de um assassinato (por isso How To Get Away With Murder) e daí que vem o top 5, os alunos destaque que começam a trabalhar com ela nos casos de seu escritório: Michaela, Laurel, Connor, Asher e Wes, que depois é explicado porque conseguiu uma vaga no grupo que era para ser de 4 alunos e não 5. Aos poucos vamos conhecendo a vida destes personagens e seus passados, suas relações conflituosas com suas famílias, além de ter representatividade gay e até mesmo uma personagem de origem latina. 

keating 5.png

Ainda temos mais dois personagens de extrema importância que são aliados da Professora Keating: Bonnie (quem também é a Paris de Gilmore Girls) e Frank que aos poucos também vamos entendendo quais porque eles são tão capachos de Annalise, chegando muitas vezes a ter muita raiva deles.

Eu não sou muito fã de séries com essa temática porque parece que é sempre a mesma coisa (como SCI ou criminal Minds) mas há tantas reviravoltas que chega a ficar impossível parar de assistir. Fora que é um prato cheio para conhecer o sistema criminal de fora e ficar impressionado com várias atuações marcantes. Não foi uma das séries preferidas, mas valeu continuar assistindo depois que passa a chatice inicial, tratando também de questões bem tensas, com sangue espirrando em todas as temporadas.

 

*** SPOILERS ***

  • Esperei muito e até comemorei não ter sido Sam que tivesse matado Lila (não ele próprio) para que o crime de assassinato cometido pelo grupo não tivesse valido a pena e eles usarem isso como justificativa para ficar com a consciência tranquila;
  • Foi ficando óbvio que Frank tinha alguma dívida com os Keating mesmo antes dele matar a Lila;
  • Uma das piores coisas que Annalise fez foi incriminar Nate como assassino de Sam e ele continuar cuidando dela após tudo o que sofreu;
  • E a gente pensa que Bonnie é um capacho de Annalise até ela matar a Rebecca;
  • Quando o suposto pai de Wes é assassinado na sua frente achei demais por ele sempre estar envolvido na maioria das mortes e até falei: “Ah, pronto!”
  • Não gostei da morte de Wes;
  • Wes e Laurel: nada a ver os dois juntos;
  • Finalmente começam a investigar todas as ações de Annalise na terceira temporada, afinal que série de investigação deixa tanta coisa suspeita de fora?
  • Muito estranho a Eve não ter aparecido nos momentos cruciais da terceira temporada quando Annalise é presa;
  • Como assim foi o pai da Laurel que mandou matar o Wes? Por que?
  • Detestei o novo visual de Connor no começo da quarta temporada;
  • Ver a Bonnie se rebelar contra Annalise faz todo sentido depois de tanta humilhação que Annalise a fez passar;
  • Bizarro a Laurel ir morar no apartamento do Wes depois que ele morreu, se bem que todos eles continuam trabalhando na casa de Annalise depois de tanta coisa ruim;
  • O pai da Laurel tirar o bebê, plantar documentos falsos sobre o histórico dela alegando inclusive uso de drogas foi terrível;
  • Manoo, só eu achei muito bizarro o terapeuta Isaac Roa ser dependente químico?  E pior ver que o papel entre ele é Annalise se inverter;
  • E que reviravolta essa do Nate ter um pai preso há anos na cadeia?
  • Michaela trair Asher com Marcus (que não faz sentido nenhum o envolvimento deles por acaso) e denunciar Simon para imigração mostra o quanto ela é a próxima Annalise;
  • Fiquei perdida com a participação de Olivia Pope, já que não sei do que se trata Scandal;
  • Simon leva um tiro na cabeça e se recupera tão rápido?
  • Por que não foi a Bonnie que criou o filho que só aparece no final da 4ª temporada?
  • Será que a Laurel matou a própria mãe?

Me digam se já assistiram essa série e o que acharam, vou adorar saber?

 

Até o próximo post!

 

armesan Cheese

 

 

Me acompanhem nas redes sociais *Skoob/ *Goodreads/ *Instagram/ *Facebook/ * Filmow 

18 Comentários

  1. Gio - Atraídos Pela Leitura · · Responder

    Também sou assim, quando começo a assistir uma série n faço mais nada da vida. Agora imagina aquelas séries /novelas colombianas que eu gosto de assistir com 60/80 episódios. Kkkkk
    Com Annalise é assim: em um minuto você a admira e no outro vc já está odiando.
    Me perdi na quarta temporada, já n me lembro se assisti toda ou n. Por via das dúvidas vou dar uma conferida.
    Ah, parabéns pela ótima análise! 💙💙

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies Gio! Hahaha ainda bem que vc me entende e por isso que não penso em ver tão cedo Grey’s Anatomy 😉 Annalise é uma personagem muito controversa, se ela fizesse as coisas só para proteger alguém até faria sentido, mas muita coisa ela fez e pagou só por conta de status e para se manter no poder. Depois me diga o que achou da 4ª temporada, viu? rs Fico feliz por vc ter gostado do post 😉 Bjos

      Curtido por 1 pessoa

  2. Confesso que não aguentei a briga pelo troféu, também não gostei dos alunos. Acabei trocando essa série pela “Trotsky” e “You”, que me prenderam mais. Me pareceu que a série ia ficar no lenga, lenga e a Viola Davis acabava salvando…..Mas, acho que vou voltar e dar uma chance, vamos ver. Gostei da sua análise! Bjs!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies Ju! Nossa, que raiva me dava daquele troféu e foi bem difícil passar do 7º episódio, mas apesar dos altos e baixos vale muito a pena por ter uma mulher negra como protagonista! E aproveitando, You está na minha listinha infinita hahaha. Fico muito feliz por vc ter gostado da análise! Bjos ❤

      Curtido por 1 pessoa

      1. Sim, além de ser negra, ela está em posição de comando, isso eu gostei! Agora o troféu…minha amiga….Mas, vou tentar dar mais uma chance! Bjs!

        Curtir

        1. Hahaha boa! Depois quero saber o que vc achou 😉 Bjos

          Curtido por 1 pessoa

  3. Séries só as da Net, e algumas.
    Quanto ao calor, melhor ele, do que chuva e chuva com vento.
    Aqui há duas semanas com chuvarada. Hoje veio sol, mas amanheceu com chuva. Chega!
    Séries, Hawaii Five-0 e o resto.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Hahaha, aqui quando chove não alivia o calor, infelizmente. Eu assisto alguns episódios aleatórios de Hawaii Five-0 porque minha mãe ama, até cheguei a pensar em assistir do começo, mas não tenho muita paciência hahaha.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Aqui no sul também, Pelotas/RS, mas eu peguei a série Hawaii Five-0 ano passado e consegui, venho conseguindo assistir os episódios antigos, desde o começo, passa todos os dias às 16h, de segunda a domingo, ou para quem não pode ver à tarde, à noite, 23h, e o inédito às quartas-feiras, às 22h.

        Curtido por 1 pessoa

  4. Tábata Uchoa · · Responder

    Oie! Eu parei no início da terceira temporada de How To Get Away With Murder há um tempão. Agora não sei se assisto tudo de novo e continuo ou se volto de onde parei… hahahaha Mas agora seu post me deu incentivo pra voltar a assistir a série!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oies! Ah, apesar dos pesares eu gostei bastante e quero ver a 5ª temporada! Se voltar a assistir me diga o que achou 😉 Bjos

      Curtir

  5. Menina, eu não consegui seguir com a segunda temporada, parei no segundou ou terceiro episódio. Mas, lendo seu texto, deu até uma certa motivação… mas num sei não rsrs

    Curtido por 1 pessoa

    1. Hahaha super entendo! Acho que se eu não estivesse de férias eu teria desistido, pq não dá pra ficar perdendo tempo com algo que não está te agradando, sendo que a possibilidade de encontrar coisas mais interessantes. Se voltar a assistir, me diga o que achou 😉 Bjos

      Curtir

  6. […] Começando pelas séries, me dediquei a assistir as 4 temporadas de How to get away with murder?, uma série que eu queria ver desde 2017, e fiz um post sobre: [10 séries para 2017] Por que eu quase desisti de How To Get Away With Murder? 😉 […]

    Curtir

  7. […] Voltei a assistir How to get away with murder, como fiquei com preguiça de baixar os episódios, esperei para assistir à 5ª temporada só agora. Viola Davis é uma diva e é o principal motivo de me fazer continuar assistindo essa série, estou achando o roteiro um pouco cansativo, algumas tramas um pouco monótonas, mas as reviravoltas desta última temporada foram até interessantes. A série só vai até à 6ª temporada que vai sair agora em 2020. Para quem não viu tem post aqui sobre [10 séries para 2017] Por que eu quase desisti de How To Get Away With Murder? […]

    Curtir

  8. […] A minha primeira leitura de 2020 foi este livro que se configura na temática de desenvolvimento pessoal. O ano em que disse sim, publicado aqui no Brasil pela editora Best Seller é um livro escrito pela Shonda Rhimes, umas das produtoras e roteiristas norte-americana conhecida e aclamada nos últimos tempos pelas séries Gray’s Anatomy, Scandal e How to get away with murder. […]

    Curtir

  9. […] mostrar um acontecimento e depois voltar para explicar os motivos daquilo, algo muito utilizado em How To Get Away With Murder, além de algumas temporadas terminarem com cliffhangers. Porém, achei que tinha muita trama para […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: