Filmes e Séries de Dezembro 2018 | A série da Anitta, Sense8, Black Mirror, a adaptação de Bird Box, clima natalino e 14 filmes assistidos

Oies Bookaholics!

Vamos falar sobre os assistidos do último mês?

chick flicks (8)

Séries

Com o início das minhas férias eu voltei a assistir séries e nos mês de dezembro assisti três.

vai anittaVai Anitta (1ª temporada) – Netflix – ★★★

Do Brasil para o mundo. Acompanhe Anitta nos bastidores e descubra tudo sobre a estratégia de uma estrela e sua carreira internacional.

Comecei a assistir porque queria algo bem leve e achei razoável. Dá para maratonar tranquilamente! Eu gosto das músicas da Anitta, a história dela, a persistência no mundo da música, principalmente no funk que sofre tanto preconceito é bem interessante. O projeto CheckMate (um clipe por mês durante 4 meses seguidos) para iniciar a carreira internacional da cantora brasileira também mostram o quanto de dedicação e trabalho duro estão envolvidos. Na série também são mostrados algumas polêmicas que a cantora se envolveu, principalmente em relação a exposição do corpo e suas declarações. Como pessoa eu particularmente não gosto, acho que algumas coisas são muito forçadas, e foi o que eu senti com a série, parecia que ela estava atuando o tempo todo, por saber que tinha uma câmera ligada. Até com os amigos famosos parecia que era tudo forçado e os únicos que eu senti serem mais “naturais” eram os familiares, inclusive o ex-marido dela, que claramente se mostrava contrário a toda exposição que a fama traz. Inclusive alguma posições da cantora não fazem sentido e ela mesmo concorda ao dizer que fala sobre aceitação do corpo para seu público, mas ela mesma já fez 7 cirurgias plásticas. Ou no clipe de Is that for me, gravado na floresta Amazônica com o dj Alesso (que parecia que ia morrer com medo de mosquito demonstrando o olhar de inferioridade do homem branco de país desenvolvido) em que a ideia dela era conscientizar sobre o desmatamento e eu pelo menos não vi essa mensagem. Na verdade o que eu sinto em todas as declarações da Anitta é isso, suas mensagens por maior a intenção que seja não são claras. Mas cabe também destacar que muitas vezes nós como expectadores só vemos um lado do artista, não entende que eles também são uma pessoa como nós, com sentimentos e seus momentos de crise. Anitta chora ao ver a repercussão de seu trabalho, das inúmeras críticas de suas roupas, além de sofrer de depressão.

 

Sense8 – Netflix – ★★★★★ 

A série foca em oito personagens espalhados pelo mundo que se ligam mentalmente e emocionalmente após uma morte trágica. Eles podem não só conversar entre si como ter acessos aos mais profundos segredos de cada um. Juntos eles precisam não apenas entender o que aconteceu e o porquê, como também fugir de uma organização que está atrás deles para capturá-los e estudá-los.

Se tornou uma das minhas séries favoritas da vida! ❤ E infelizmente foi encerrada 😦 Tem post detalhado sobre: [10 séries para 2017] Sense8: uma série incrivelmente f* ❤

 

BM_Bandersnatch_Vertical-Main_PRE_RGBBlack Mirror: Bandersnatch (David Slade, 2018) – Netflix – ★★★

1984. Um jovem programador (Fionn Whitehead) começa a questionar a realidade enquanto adapta um romance de fantasia em um jogo. Uma história alucinante com múltiplos finais.

A ideia de trazer o primeiro filme/série interativo para a tv foi incrível. Mas eu achei cansativo, confesso, rs. Eu ficava curiosa para saber desenvolvimento e final teriam se eu tivesse optado por outras alternativas, mas não tive paciência de assistir todos, e parece que são 9 finais. Eu não senti aquele impacto habitual que as temporadas anteriores me causaram (confiram: [10 séries para 2017] | Black Mirror para f* com a sua cabeça) mas depois do vídeo do Coxinha Nerd vi as diversas discussões e reflexões que Bandersnatch traz nas diversas camadas. Preciso reassistir no futuro.

 

Filmes

batalhasBatalhas (Katarina Launing, 2018) – Netflix – ★★★

Com a falência do pai, a jovem bailarina Amalie vê seu estilo de vida luxuoso desmoronar. Mas ela descobre um novo ritmo ao conhecer o dançarino de hip-hop Mikael.

Eu gosto de filmes de dança e gostei desse. Nada de espetacular, nem mesmo as coreografias, mas eu curti, principalmente por sair dos padrões: a menina não tem aquela magreza de bailarina e o filme é dirigido por uma mulher e de produção norueguesa.

 

perfectos_desconocidos.jpgPerfeitos desconhecidos (Álex de la Iglesia, 2017) – Netflix – ★★

Sete amigos de longa data se encontram para jantar, com a regra de que todas as mensagens e telefonemas que eles receberem serão públicas para o resto da mesa, revelando segredos que bagunçam suas vidas.

No mês passado eu comentei sobre Nada a esconder, e a Brenda me disse que tinha um filme muito parecido. Fui atrás e descobri que na verdade Perfeitos desconhecidos saiu primeiro e é um filme espanhol. Eu não gostei, rs. Achei que a atmosfera trazida para essa história foi mais cômica. A versão francesa é muito melhor.

 

requiem

Requiém para um sonho (Darren Aronofsky, 2000) – ★★★★ 

Uma visão frenética, perturbada e única sobre pessoas que vivem em desespero e ao mesmo tempo cheio de sonhos. Harry Goldfarb (Jared Leto) e Marion Silver (Jennifer Connelly) formam um casal apaixonado, que tem como sonho montar um pequeno negócio e viverem felizes para sempre. Porém, ambos são viciados em heroína, o que faz com que repetidamente Harry penhore a televisão de sua mãe (Ellen Burstyn), para conseguir dinheiro. Já Sara, mãe de Harry, viciada em assistir programas de TV. Até que um dia recebe um convite para participar do seu show favorito, o “Tappy Tibbons Show”, que transmitido para todo o país. Para poder vestir seu vestido predileto, Sara começa a tomar pílulas de emagrecimento, receitadas por seu médico. Só que, aos poucos, Sara começa a tomar cada vez mais pílulas até se tornar uma viciada neste medicamento.

Eu escolhi esse filme para o meu trabalho final de uma disciplina da faculdade e trabalhei vários aspectos, como o efeito produzido pela montagem de algumas cenas e as temáticas do uso e consumo de drogas, sonhos e a idealização do sujeito na sociedade.

 

se você visse seu coraçãoSe você visse o seu coração (Joan Chemla, 2017) – Netflix – ★★

Daniel (Gael Garcia Bernal) vive em uma comunidade excluída socialmente e faz parte do mundo do crime. Seu melhor amigo, Costel (Nahuel Pérez Biscayart), morre assim que se torna seu parceiro, deixando Daniel transtornado, e seu irmão Lucho (Mariano Santiago) furioso.

Eu não entendi muitas coisas desse filme, principalmente porque ele não segue uma linha cronologia linear. E vários detalhes não fizeram sentido para mim.

 

BirdBox_Verical-Main_PRE_BPO

Caixa de pássaros (Susanne Bier, 2018) – Netflix – ★★★

Num cenário pós-apocalíptico onde o simples olhar pode te levar à morte, uma mãe e seus dois filhos atravessam um rio de olhos vendados em um barco, em busca de um lugar seguro.

Eu estava ansiosa e apreensiva para esta adaptação, mas fiquei bem decepcionada 😦 Infelizmente como filme não me agradou, e claro que não dá para trazer tudo que tem nas páginas para a tela, mas vários aspectos foram mudados. As cenas do barco, os efeitos especiais e a Sandra Bullock arrasam, mas o envolvimento de Malorie e Tom, a forma com que as coisas vão acontecendo me irritaram profundamente e eu não consegui separar as coisas e enxergar apenas como filme e não adaptação. 😦

 

Mowgli_Vertical-Horizon_PRE_BPO20181108-5819-qhx75pMogli: entre dois mundos (Andy Serkis, 2018) – Netflix – ★★★★

Criado por uma alcatéia em meio às florestas da Índia, Mogli (Rohan Chand) vive com os animais da selva e conta com a amizade do urso Baloo (Andy Serkis) e da pantera Bagheera (Christian Bale). Ele é aceito por todos os animais, exceto pelo temido tigre Shere Khan (Benedict Cumberbach). Quando Mogli se defronta com suas origens humanas, perigos maiores do que a rixa com Shere Khan podem surgir.

Vi que muita gente não gostou do filme por ser bem diferente do desenho da Disney, mas eu amei. Assisti com a minha sobrinha e gostamos muito, apesar de acharmos bem triste e ver o quanto o Mogli sofre. Não tem nada de músicas alegres e um ambiente pacífico na selva, em que a lei da sobrevivência é que manda.

 

solteiraComo superar um fora (Bruno Ascenzo & Joanna Lombardi, 2018) – Netflix – ★★★

Maria Fe, uma jovem mulher, está no meio de uma crise existencial antes dos seus 30 anos de idade. Depois de sofrer uma ruptura amorosa, ela decide criar um blog para contar os desafios de uma solteirice que a desconcerta. Em um ambiente de trabalho dominado por homens, a nova blogueira ganha popularidade imediatamente. Essas novas experiências começam a ter um lado dela mais ousado, frontal e decisivo, mas ela se vê ameaçada por um ex que parece não desaparecer totalmente.

Comédia romântica de produção peruana e um amorzinho. Gostei muito, apesar de achar o nome em português um pouco ruim. Fiquei apaixonada pelo apartamento da protagonista, principalmente o quarto. E mais do que o blog, que poderia ter aparecido mais, achei incrível a piada repetida sobre a história ser no Peru e não no México ou Argentina, mostrando que esses países não são uma coisa só.

 

Eu estava numa vibe bem natalina e assisti alguns filmes temáticos disponíveis na Netflix:

 

The-Princess-Switch-Poster_result.png

A princesa e a plebéia (Michael Rohl, 2018) – Netflix – ★★★

Quando uma confeiteira de Chicago e uma futura princesa descobrem que são basicamente gêmeas, elas criam um plano para trocar de lugares durante o Natal. As coisas irão ficar complicadas quando uma delas se apaixona por um homem que não sabe a verdadeira história e muito menos a identidade da sua amada.

Só quem foi fã de High School Musical sabe a felicidade de ver a Vanessa Hudgens como protagonista de mais um filme. Uma comédia romântica bem clichê e bem amorzinho 🙂

 

the-holiday-calendar-861404l-600x0-w-0b76e549.jpg

O feitiço do natal (Bradley Walsh, 2018) – Netflix – ★★★

Desencantada com a vida, uma talentosa fotógrafa herda um calendário mágico que parece estar prevendo o futuro… e a ajudando a encontrar o amor.

Ah, tem mágica, tem romance e muito clichê! 🙂

 

 

 

crônicas de natal.jpgCrônicas de natal (Clay Kaytis, 2018) – Netflix – ★★★

Dois irmãos (Judah Lewis e Darby Camp) tentam provar que o Papai Noel é real filmando-o com uma câmera. Quando causam acidentalmente uma queda do seu trenó em Chicago, eles precisam ajudar a recuperar o Natal antes que tudo esteja arruinado.

Saindo dos filmes de comédia romântica resolvi assistir esse que é mais voltado para aventura. Adorei os efeitos, a história em si é bem legal e tem alguns momentos bem emocionantes sobre perdas.

 

the-grinch-poster.width-600.jpg O Grinch (Ron Howard, 2000) – Netflix – ★★★★

Um Grinch (Jim Carrey) que odeia o Natal resolve criar um plano para impedir que os habitantes da pequena cidade de Quemlândia possam comemorar a data festiva. Para tanto, na véspera do grande dia, o Grinch resolve invadir as casas das pessoas e furtivamente roubar delas tudo o que esteja relacionado ao Natal.

Ah eu me apaixonei por essa história! Eu não sei porque não vi antes, rs. Jim Carrey está magnífico no papel principal e dei muitas risadas, apesar da trama falar sobre bullying e vingança. E a experiência foi melhor ainda assistir com o áudio original, em que as falas do narrador são todas rimadas. Vale muito a pena!

 

porta dos fundos.jpg

Especial de Natal: Se beber, não ceie (Rodrigo Van Der Put, 2018) – Netflix – ★★

Conheça Jesus, o primeiro influenciador a conquistar seguidores sem seguir de volta. Mesmo se não acredita nele, já o viu por aí, ou leu o Novo Testamento, sua biografia. O ‘Especial de Natal – Se Beber Não Ceie’ é uma adaptação para as telas da Santa Ceia, a passagem da Bíblia, para todos que ainda não leram o livro. E para quem leu também. Na sátira do Porta dos Fundos serão reveladas as verdades e os desafios da última ceia, quando Jesus desapareceu e os apóstolos precisam encontrá-lo e desvendar o que aconteceu na noite anterior, em uma saga repleta de momentos mágicos, aventuras, traição, assassinato, consumo de drogas, amnésia alcoólica e nenhuma culpa cristã.

Eu gostava muito de Porta dos Fundos, mas foi perdendo a graça. E esse especial foi muito ruim. Poucas piadas de fato engraçadas.

 

o natal de angela

O natal de Angela (Damien O’Connor, 2017) – Netflix – ★★★★

Na igreja com a família na Véspera de Natal, Angela tem uma ideia extraordinária. 
Um conto comovente baseado numa história de Frank McCourt.

Ahh eu adorei! Muito fofo e simples ao retratar a ingenuidade de uma criança, muito bom!

 

Conhece alguns dos filmes mencionados? Já assistiu algum? Quem me indicar algum filme? Deixe tudo aqui nos comentários, vou adorar saber! 😉

 

Até o próximo post!

 

armesan Cheese

 

 

Me acompanhem nas redes sociais *Skoob / *Instagram / *Facebook / * Filmow

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

3 Comentários

  1. Oi, Cah! Bom saber que a versão francesa é melhor! Eu já gostei bastante da espanhola, inclusive do tom humorístico! Haha Mas talvez tenha sido assim por eu ter visto essa versão primeiro. Um amigo me disse que a primeira versão de todas é italiana, acredita? Daqui a pouco sai uma hollywoodiana também! Hahaha

    Feliz ano novo! Que 2019 seja tão produtivo quanto ano passado e ainda mais feliz e gratificante!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oi, amando o blog será que pode seguir o meu também porfavor 😘❤

    Curtido por 2 pessoas

  3. Oi, amando o blog será que pode seguir o meu também porfavor 💟

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: