Oies Bookaholics!

Eu estou de férias (finalmente) e continuando a minha paixão/obsessão por Dois irmãos do autor Milton Hatoum vou falar sobre as minhas impressões sobre a adaptação para a minissérie da Rede Globo ❤ Para quem quiser acompanhar ou perdeu algum capítulo recomendo o site Tá Bonito Brasil com qualidade em HD e capítulos na íntegra 😉

Para vocês terem um ideia do poder de alcance dessa adaptação, o site O Globo publicou que a venda do livro disparou a partir do anúncio na televisão: de 60 livros vendidos por semana a 1.060 unidades na última semana de dezembro de 2016.

dois-irmaos

Eu espero que esse post consiga expressar o meu amor pela minissérie, bem como o brilhante trabalho de toda equipe de produção, e principalmente o trabalho da roteirista Maria Camargo, que enxergou a história de “Dois Irmãos” como um diferencial. (Confiram o texto Para onde a bússola aponta da roteirista sobre seu envolvimento com o livro 😉  )

Muito do que eu vou dizer leva em conta o evento que pude participar Bate-papo: “Dois irmãos” – a obra e suas adaptações de Milton Hatoum, bem como a leitura do livro, obviamente, rs. Preciso esclarecer que meu conhecimento sobre cinema e direção são extremamente limitados, nem tenho condições de falar muito sobre.

Uma coisa que aprendi é que uma obra precisa funcionar de maneiras diferentes em cada meio em que é disponibilizada. O livro é muito mais rico em detalhes, já que com a palavra escrita tornar-se mais fácil para o autor “explicar” ao leitor cada detalhe da história. Se adaptada para o cinema ou minissérie, como é o caso, o recurso visual é um dos elementos mais importantes para contar a história.

Eu amei a adaptação da obra para a televisão e queria destacar alguns pontos que serão listados a seguir 😉

  • Interpretação dos atores

O que foi Cauã Reymond interpretando os gêmeos Yaqub e Omar? Cauã Reymond arrebentou, principalmente nas cenas de fúria de Omar, fiquei muito chocada! E também destaco a atuação de Matheus Abreu na fase mais jovem dos irmãos. Juliana Paes e Eliane Giardini conseguiram representar de forma incrível a loucura obsessiva de Zana por Omar. Antonio Calloni e Antonio Fagundes também foram muito bem representando Halim.

dois-irmaos-omar2

yaqub-a-caminho-da-escola-matheus-abreu-fase-2

getimageobj-32

antonio-fagundes-dois-irmaos

eliane-girdini

juliana-paes-dois-irmaos

 

  • Tempo narrativo

Ao longo dos 10 capítulos a trama respeitou o tempo não linear adotado por Millton Hatoum no livro e optando também pela presença de um narrador. Lembro que enquanto acompanhava o primeiro capítulo, vi que muita gente no Twitter dizendo que não estava entendendo nada. O que considerei normal, se até o começo do livro é um pouco confuso. Acredito até que a série foi mais fácil para aqueles que já conheciam o livro.

  • Cenografia, fotografia e produção de arte 

Se o cinema/televisão conta como um dos seus maiores recursos a imagem o que dizer de todo cenário e imagens do local em que a história se passam? Foi um incrível acompanhar a transformação de Manaus ao longos dos anos, ver a riqueza dos rios e da natureza. As cenas de Halim ao barco são incríveis e conseguiram me transportar para um lugar que estava muito distante na minha imaginação. Uma curiosidade: como chove em Manaus, acredito que em todos os capítulos tinha chuva! O site Gshow destacou os detalhes para a construção dos cenários, como o casarão em que a família vive. Não foi por acaso que a produção durou mais de 7 anos.

  • Trilha sonora

A editora Companhia das Letras, divulgou na sua página do Facebook, a playlist da minissérie que está disponível no Spotify, que conta com música clássica e sons muito peculiares que trouxeram à tona as emoções vivenciadas ao longo das cenas. A própria abertura da trama já antecipa o tom de emoções fortes e suspense, a ideia de tragédia já pode ser compreendida pela força que a música clássica de Adaggieto Mahler.

 

  • ALERTA DE SPOILERS: Cenas incluídas e cenas cortadas

No bate-papo com a roteirista Maria Camargo,  ela disse que por ler o livro 27 vezes acabou organizando a história em ordem cronológica, assim incluiu a cena no porto em que Zana prefere só enviar Yaqub para o Líbano, bem como um cena em que a família vai para a praia para ver uma competição de remo de Omar.

Uma das cenas que eu mais aguardava e que eu destaquei na minha resenha, era o momento em que o professor Landau é tirado da sala de aula e é agredido por militares durante a ditadura. Em contrapartida, na minissérie, o diretor ou a roteirista optou por fazer a cena durante um protesto contra ao regime ditatorial. Eu entendi a escolha e o sentimento agoniante representado foram os mesmos que senti ao ler o livro.

Incesto também fazem parte da trama em dois momentos, a relação sexual entre Rânia e Nael (tia e sobrinho) foram retratadas, mas a relação que Nael descreve no livro entre Yaqub e Rânia (irmão e irmã) não foi retratada, mas algo merece destaque. Como a história é narrada sob o ponto de vista de Nael teve momentos em que a câmera se aproximou de detalhes do contato entre os irmãos, como se fosse o olhar de Nael: Rânia sentada no colo de Yaqub enquanto ele beija o seu pescoço numa conversa com os pais na sala da família. Bizarro! Acredito que a movimentação da câmera nesse momento destacando esse contato não foi aleatório, quis chamar a atenção dos espectadores. Digo isso porque minha amiga Aline estava acompanhando a minissérie, de tanto que falei rs, e achou muito estranho todo esse contato dos dois, detalhe que ela não leu o livro.

Ao final do livro Domingas revela para o filho Nael que foi estuprada por Omar, gerando a gravidez, na minissérie, a cena de estupro não foi mostrada (ainda bem), mas também foram mostrados indícios do ato em um dos primeiros capítulos. Não achei de tudo ruim, mas acabou comprometendo o suspense criado ao longo do livro para Nael descobrir quem era seu pai biológico, Yaqub ou Omar.

“Dois irmãos”, tanto o livro com a minissérie, conseguiram me tocar, em meios diferentes, mas de um sentimento tão profundo e perturbador a cerca da relação e estrutura familiar.

Até o próximo post!

Camila Melo 

Me acompanhem nas redes sociais *Skoob / *Instagram / *Facebook / * Filmow

Anúncios

Um comentário em “Minissérie | Eu tenho que falar sobre “Dois Irmãos”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s