Filmes | The Hunting Ground

Oies BOOKAHOLICS! Não é muito comum falar sobre coisas diferentes que não são livros, mas precisava falar sobre um documentário muito bom que assisti ontem no Netflix (finalmente me rendi, então adeus vida social, haha).

Eu descobri esse documentário enquanto assistia a uma apresentação no Oscar da música “Til It Happens To You” (Até que aconteça com você) que a Lady Gaga compôs para o filme e sim é muito pesado e não é ficção, é a realidade de muitas pessoas.

O documentário de 2015 (tradução livre: “O Lugar de Caça”) é sobre os casos de violência sexual nas universidades norte americanas, podemos acompanhar os relatos dos casos de estupros dentro dos campus pelos testemunhos das vítimas, as ações da presidência e reitoria das universidades, e as consequências para os agressores.

O que me chamou a atenção para assistir a esse documentário e querer me aprofundar no assunto é que infelizmente casos semelhantes também acontecem nos campus da universidades brasileiras, inclusive na Universidade de São Paulo onde estudo. Estou no segundo ano e já ouvi casos de abusos, uma caloura do curso de Administração da FEA foi estuprada em junho do ano passado (E NÃO ERA EM FESTA), houve também o caso do Blog do Tio Astolfo com o Guia de como estuprar mulher na USP. E mais recentemente houve o caso de uma agressão dentro da moradia estudantil (CRUSP), vários alunos em protesto ocuparam a administração do prédio da Superintendência de Assistência Social (SAS) exigindo a expulsão imediata do agressor que era reincidente.  Vale lembrar que no ano passado foi aberta CPI sobre os casos de abusos nas universidades paulistas.

O fato é que em muitos casos a universidade omite e não toma nenhuma providência em defesa da vítima ou alguma punição contra o agressor, no documentário alguns pontos foram levantados sobre a omissão das universidades:

  • machismo enraizado e culpabilização da vítima (que roupa ela estava usando, porque bebeu, porque estava naquele lugar, etc)
  • imagem da universidade a ser preservada: risco de perder os financiamentos e prestígio

Ainda, não encorajam as vítimas a denunciar na polícia ou de falarem com outras pessoas sobre a agressão, assim, as vítimas não tem apoio legal e nem psicológico dentro do campus. As universidades norte americanas (e brasileiras também) não reconhecem que esse é um problema que precisa ser solucionado.

Nos Estados Unidos um agravante maior se dá pelas fraternidades que existem em todo país, em que se concentram  os casos de violência sexual contra mulheres e abusos nos trotes. O comportamento agressivo dos  homens contra às vítimas é muitas vezes parabenizado pelos seus irmãos de fraternidade, muitas vezes para serem aceitos é preciso fazer “tarefas” de muita violência e abuso. Há um contrato entre as universidades e fraternidades, já que os ex-membros garantem maior parte das doações financeiras às universidades, assim, as universidades não toma nenhuma medida contra as fraternidades e também não se desassocia deles.

Um tipo de agressor que saí na maioria das vezes impune são os atletas, pois possuem um tratamento diferenciado, os casos de agressão sexual são ignorados quando um astro em ascensão está envolvido e mais uma vez há um sistema milionário envolvido por trás dos times e universidades.

E o problema se intensifica quando os professores ou profissionais considerados ativistas em defesa das vítimas decidem não ficar em silêncio, sofrem retaliações e boicotes, muitos até são demitidos.

O problema é tão sério que as vítimas sofrem tanto após serem agredidas que muitas desenvolvem síndrome do pânico, se isolam (porque tem muito contato com o agressor, quando ele é do mesmo curso, ou tem as mesmas aulas), desistem do curso (desistem do sonho, porque muitos saem do seu estado para estudar numa universidade pública), tem automutilação e podem até cometer suicídio. As vítimas que denunciam sofrem retaliações por parte de outros estudantes e pela sociedade, não tem apoio.

Algumas alunas cansaram de serem ignoradas então resolveram denunciar à universidades na corte americana, assim criaram o movimento Title IX que é uma rede de apoio às vítimas em todas as universidades norte americanas, baseadas no Título IX que é uma lei civil federal que proíbe a discriminação de sexos em qualquer programa ou atividade que recebe fundos do governo federal.

Então sim, depois de todos esses agravantes dá muita revolta porque o problema se intensifica cada vez mais, parece que não há solução. O ponto que não gostei muito nesse documentário é que a maioria dos relatos mostrados se dá em festa, e não acontecem abusos somente nesses casos, a caloura da FEA não estava numa festa, nem bêbada quando foi agredida. Muitas vezes o agressor não é um desconhecido, é alguém muito próximo à vítima. Só por curiosidade a reitoria da USP tomou como providência proibir todo tipo de festa com bebida alcoólica dentro do campus, assim ela acha que sem festa não há abusos.

ATENÇÃO ÀS CENAS MUITO FORTES! 

 

Eu super recomendo o documentário, deve ser de conhecimento de todos. Para maiores detalhes sobre a questão dos casos norte americanos aqui.

Até o próximo post!

Camila Melo 

Anúncios

5 Comentários

  1. Excepcional! Esse é mais um dos tantos assuntos delicados e polêmicos que precisam ser falados, debatidos e solucionados. Não é preciso procurar muito para ver casos absurdos de violência contra a mulher… 😦

    E o pior de tudo é o quanto esses casos são abafados, o quanto a mídia omite e em como a sociedade inverte totalmente os papéis: vitimiza o culpado e culpabiliza a vítima.

    Quero assistir a esse documentário já!

    Muito bom o post, parabéns!

    XOXO,

    Marcela Carvalho.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Marcela Carvalho muito obrigada! Você disse tudo, esse assunto é tabu, ninguém quer falar sobre e fingem que não existe esse problema. Quando assistir ao documentário me conta o que achou 😉 Bjos da Cah! ❤

      Curtido por 1 pessoa

  2. Noss, não sabia desse documentário, vou assistir depois.
    Infelizmente é uma realidade que nos rodeia, e ninguém faz nada a respeito.

    Adorei a Dica Cah. Parabéns!!

    Bjuuu!!

    Curtido por 1 pessoa

    1. É muito real, muito triste, mas muito bom. Vale muito a pena e infelizmente coincide com os últimos dias aqui no Brasil, o contexto é um pouco diferente, mas a revolta e impotência são as mesmas! 😦 Bjos

      Curtir

  3. […] documentário The Hunting Ground exemplifica muito bem os casos de abuso sexual nas universidades americanas, que também sofrem […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: