Oies!

No post de hoje resolvi trazer os livros que me fizeram chorar ou que chegaram muito perto disso, livros que deixaram com uma sensação de aperto no coração e angústia. Mas além disso, livros que trazem uma reflexão, a partir da sua abordagem temática, narrativa, contexto e perspectivas de seus personagens. Resolvi não pegar nenhum livro que faz parte de alguma série para não trazer possíveis spoilers. A ordem dos livros não trazem nenhuma ordem de preferência, somente uma forma de organização. Espero que gostem dos livros que selecionei 😉

  1. Capitães de Areia (Jorge Amado) cia_letras_capitaes

Sinopse: Desde o seu lançamento, em 1937, Capitães da Areia causou escândalo: inúmeros exemplares do livro foram queimados em praça pública, por determinação do Estado Novo. Ao longo de sete décadas a narrativa não perdeu viço nem atualidade, pelo contrário: a vida urbana dos meninos pobres e infratores ganhou contornos trágicos e urgentes. Várias gerações de brasileiros sofreram o impacto e a sedução desses meninos que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais. Verdadeiro romance de formação, o livro nos torna íntimos de suas pequenas criaturas, cada uma delas com suas carências e suas ambições: do líder Pedro Bala ao religioso Pirulito, do ressentido e cruel Sem-Pernas ao aprendiz de cafetão Gato, do sensato Professor ao rústico sertanejo Volta Seca. Com a força envolvente da sua prosa, Jorge Amado nos aproxima desses garotos e nos contagia com seu intenso desejo de liberdade.

2. A Lista Negra (Jennifer Brown)

lista negra

Sinopse: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas. A lista negra, de Jennifer Brown, é um romance instigante, que toca o leitor; leitura obrigatória, profunda e comovente. Um livro sobre bullying praticado dentro das escolas que provoca reflexões sobre as atitudes, responsabilidades e, principalmente, sobre o comportamento humano. Enfim, uma bela história sobre auto-conhecimento e o perdão.

3. A Culpa É Das Estrelas (John Green)

a_culpa_e_das_estrelas_FRENTE

Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer – a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

4. Um Dia (David Nicholls)

um dia

Sinopse: Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas – vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

5. O Melhor De Mim (Nicholas Sparks)

melhor de mim

Sinopse: Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam. Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável. Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois.Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre. Num romance envolvente, Nicholas Sparks mostra toda a sua habilidade de contador de histórias e reafirma que o amor é a força mais poderosa do Universo – e que, quando duas pessoas se amam, nem a distância nem o tempo podem separá-las.

6. Vidas Secas (Graciliano Ramos)

vidas secas

Sinopse: Obra-prima de Graciliano Ramos, “Vidas Secas” exibe o limite da incomunicabilidade e animalização do homem na família de retirantes que se desloca em movimento circular entre uma trégua e outra dada pela hostilidade da natureza.

7. Ensaio Sobre A Cegueira (Jose Saramago)

ensaio sobre a cegueira

Sinopse: Um motorista parado no sinal se descobre subitamente cego. É o primeiro caso de uma “treva branca” que logo se espalha incontrolavelmente. Resguardados em quarentena, os cegos se perceberão reduzidos à essência humana, numa verdadeira viagem às trevas. O “Ensaio sobre a cegueira” é a fantasia de um autor que nos faz lembrar “a responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam”. José Saramago nos dá, aqui, uma imagem aterradora e comovente de tempos sombrios, à beira de um novo milênio, impondo-se à companhia dos maiores visionários modernos, como Franz Kafka e Elias Canetti. Cada leitor viverá uma experiência imaginativa única. Num ponto onde se cruzam literatura e sabedoria, José Saramago nos obriga a parar, fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu: “uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos”.

Tem algum outro livro que te fizeram chorar? Aguardo sua resposta nos comentários.

Até o próximo post! 🙂

Anúncios

11 comentários em “7 Livros Para Chorar

  1. Ótima lista! Mas eita, já começa com Capitães! Pesado! Chorei muito com esse livro, me marcou!
    Ai, “Um Dia”, mddc! Amo esse livro! O autor foi na Bienal, mas bem no 1º fds, aff! 😦
    Eu li “A Culpa é das Estrelas” bem na época do bloom, li com muita expectativa… mas acabou que eu não derramei uma lágrima sequer. Achei a história triste e emocionante, claro… Mas não a ponto de chorar. #coraçãodepedra
    Eu não sou muito fã de Nicholas (romântica desiludida), mas claro que já chorei com os livros e filmes dele. Prefiro os filmes (“Diário de uma paixão”) ♥♥♥ Mas o melhor livro eu acho que é “O Milagre”.
    Tenho que ler “Ensaio Sobre A Cegueira” esse semestre, para Literatura Portuguesa IV… Vamos ver se vou chorar.

    Beijos,
    Mari,
    Ler é Conhecer

    Curtido por 1 pessoa

    1. Mari, sofri nas três vezes que li Capitães de Areia, me marcou por causa do vestibular da FUVEST. Quis chorar mais ainda porque não pude ir à Bienal e autografar meu livro “Um Dia”. Em “A culpa é das estrelas” eu quase chorei, me segurei muito, mas no filme não aguentei e me acabei nas lágrimas, rs (sim você é coração de pedra, hahaha). Eu já gostei muito de Nicholas Sparks, mas hoje, leio pelo menos 2 no ano, rs. Eu não gostei de “O milagre” porque não sei que raio que as editoras fizeram que a história se repete em “À primeira vista”, um livro tinha mais detalhes que o outro. E se eu tiver que ler pra licenciatura “Ensaio sobre a cegueira” vou chorar de novo, é o tipo de livro que me deixou tão mal, eu ficava tão chocada que não conseguia mais ler, aí voltava depois de uma semana e lia mais umas 40 páginas, rs. Tomara que vc goste! Bjos

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s